Lidia Jorge na ABL

Lidia Jorge na ABL

presencial Av. Pres. Wilson, 203 - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil

O evento já encerrou

Separamos alguns eventos que você irá gostar

20º Congresso Brasileiro de Bioinformática: X-Meeting 2024

Terça-Feira, 11 de Junho

Salvador, BA

Evento online

III Fórum Online de Educação, Meio Ambiente e Sustentabilidade

Quarta-Feira, 8 de Maio

1º Congresso Multidisciplinar de Saúde e Bem-Estar

Quarta-Feira, 28 de Agosto

São Luís, MA

XX Congresso Brasileiro de Nefrologia Pediatrica

Quarta-Feira, 1 de Maio

Cuiabá, MT

{{'Receba_os_melhores_eventos_da_sua_area' | translate}}

{{'Receber_eventos' | translate}}

Sobre o evento

A romancista e contista portuguesa Lidia Jorge estará presente na ABL no dia 31 de agosto para uma conferência sobre o poder transformador da literatura, “A literatura é uma carta que se envia para longe” juntamente como professor Silvio Renato Jorge.

Lídia Guerreiro Jorge nasceu no Algarve, em 1946 e é consensualmente considerada um dos nomes mais destacados da literatura portuguesa das últimas décadas, em especial pela sua produção ficcional.

O evento tem apoio da Embaixada de Portugal no Brasil e do Camões-CCP Brasília.

Sobre a autora

Estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde se licenciou em Filologia Românica. Depois disso, Lídia Jorge foi professora do Ensino Secundário e viveu em África (Angola e Moçambique), ainda durante a guerra colonial. O seu primeiro romance, O dia dos prodígios (1980) revelou-a como ficcionista dotada de um talento e fabulatório amplamente confirmado nas obras seguintes, o que lhe valeu inúmeros e importantes prêmios literários. Na sequência daquele romance, escreveu e publicou O Cais das Merendas (1982) e Notícia da cidade silvestre (1884).

Autora de uma obra abundante e ainda em desenvolvimento, Lídia Jorge afirmou-se em função de diversas linhas temáticas. Avultam dentre esses veios temáticos, eventualmente de forma conjugada, a literatura centrada na guerra colonial e nas suas sequelas ideológicas pós-coloniais e, por outro lado, o advento (muito forte desde os anos 70) de uma temática e de uma configuração discursiva feminina.

Inscrições

{{'Label_CodigoPromocionalAplicadoComSucesso' | translate}}
{{'Label_Presencial' | translate}} {{'Label_Online' | translate}} {{'Label_PresencialEOnline' | translate}}

{{item.titulo}}

{{'Label_DoacaoAPartir' | translate}} {{item.valores[0].valor | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{item.descricao}}
{{'Titulo_Gratis' |translate}} {{viewModel.configuracaoInscricaoEvento.descricaoEntradaGratis}}
{{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}} {{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}}  

{{entrada.valorComDesconto | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Label_APartirDe' | translate}} {{entrada.validoDe | date:viewModel.evento.cultura.formatoData}}
Calendar

{{'Titulo_NaoDisponivel' | translate}}

Academia Brasileira de Letras

Sala José de Alencar

{{viewModel.evento.titulo}}

{{viewModel.evento.responsavelEvento}}