III SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS DA RELIGIÃO DA UEG & II SIMPÓSIO DA ABHR, REGIONAL CENTRO-OESTE: Espiritualidades, pluralidade e novos horizontes religiosos no século XXI

III SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS DA RELIGIÃO DA UEG & II SIMPÓSIO DA ABHR, REGIONAL CENTRO-OESTE: Espiritualidades, pluralidade e novos horizontes religiosos no século XXI

presencial UEG - Câmpus Anápolis de Ciências Socioeconômicas e Humanas - Nelson de Abreu Júnior - Anápolis - Goiás - Brasil

O evento já encerrou

Separamos alguns eventos que você irá gostar

1º Congresso Multidisciplinar de Saúde e Bem-Estar

Quarta-Feira, 28 de Agosto

São Luís, MA

Congresso Nursing

Quarta-Feira, 28 de Agosto

Fortaleza, CE

57th Congress of The International Society for Applied Ethology

Segunda-Feira, 22 de Julho

Curitiba, PR

Bridges #6

Sexta-Feira, 30 de Agosto

SP, SP

{{'Receba_os_melhores_eventos_da_sua_area' | translate}}

{{'Receber_eventos' | translate}}

Sobre o evento

 

III SIMPÓSIO NACIONAL DE ESTUDOS DA RELIGIÃO DA UEG

II SIMPÓSIO DA ABHR, REGIONAL CENTRO-OESTE

ANÁPOLIS, GOIÁS 

4 a 6 de outubro de 2023

 

É com satisfação que anunciamos o III Simpósio Nacional de Estudos da Religião da UEG/ II Simpósio da ABHR, regional Centro-Oeste. O evento acontecerá na cidade de Anápolis, Goiás, entre os dias 4 e 6 de outubro de 2023. 

O III Simpósio Nacional de Estudos da Religião da UEG/ II Simpósio da ABHR, regional Centro-Oeste, se dedicará ao tema Espiritualidades, Pluralidade e Novos Horizontes Religiosos no Século XXI. Seu propósito é reunir pesquisadores/as dos vários campos do conhecimento com o objetivo do debate científico e qualificado das religiões em sua diversidade de manifestações. De forma geral, a escolha do tema se orientou a partir dos seguintes problemas: as especificidades da paisagem religiosa brasileira na primeiras décadas do século XXI; imbricações e tensionamentos  entre o global e local na constituição de novas configurações e identidades religiosas; o lugar das “espiritualidades” nas dinâmicas de fé contemporânea no Brasil e no restante do mundo; afinidades e contrastes entre religiões e ideologias políticas no século XXI; continuidades e permanências no âmbito das religiões institucionais; religiões e direitos humanos; os desafios do ensino religioso em tempo de radicalismos e pluralidade.

Como parte da paisagem religiosa brasileira, a região Centro-Oeste acomoda diversas manifestações religiosas, cada uma vinculada a lugares sociais distintos, algumas mais institucionais, outras mais errantes.  Os diversos grupos e expressões religiosas coexistem em um mesmo ecossistema de fé. Amiúde, elas competem e tensionam entre si e se vinculam às outras dimensões sociais e ideológicas que organizam a experiências dos indivíduos. Ou seja, as religiões, antigas ou recentes, mais comunitárias ou mais individuais, não estão descoladas do restante do tecido social. 

Sua pluralidade inclui grupos e manifestações diversas, entre elas as igrejas pentecostais que tentam alcançar especialmente a recepção juvenil, como é o caso da Church in Connection na cidade de Anápolis, e as novas religiões que bricolam elementos místicos e orientais, entre elas o Vale do Amanhece, cujo templo principal fica na cidade de Planaltina, em Brasília, e a Sociedade Brasileira de Eubiose, em Nova Xavantina, Mato Grosso. A elas, podemos acrescentar ainda as espiritualidades e práticas meditativas presentes especialmente nos maiores centros urbanos da região.

Não menos importante, a região centro-oeste é celeiro das religiosidades populares que, longe de serem estáticas, atualizam suas dinâmicas em um contexto cada vez mais urbano, digital e inclinado a ponderar sobre suas identidades culturais. Além delas, as religiosidades afro-brasileiras, que desenvolvem suas atividades e práticas a partir de centros religiosos diversos preservam legados de uma ancestralidade religiosa. Esses legados são mananciais espirituais que enriquecem a vivência de seus praticantes ao mesmo tempo em que colaboram com a afirmação identitária contra toda sorte de preconceitos religiosos e raciais 

Os esforços do III Simpósio Nacional de Estudos da Religião da UEG/ II Simpósio da ABHR, regional Centro-Oeste, buscam colaborar com outras iniciativas que se dedicaram aos aspectos marcantes da paisagem religiosa brasileira e do Centro-Oeste. 

Oportunamente, manifestamos nossa gratidão à CAPES, que tornou possível a realização deste simpósio a partir do Programa de Apoio a Eventtos no País (PAEP - 2023). 

Sejam todos/as bem-vindos/as! 

Palestrantes

Confira os palestrantes já confirmados em nosso evento!

{{item.nome}}

{{item.nome}}



Programação

{{item.titulo}}
{{item.horaInicio}}-{{item.horaFim}}
Calendar

Inscrições

{{'Label_CodigoPromocionalAplicadoComSucesso' | translate}}
{{'Label_Presencial' | translate}} {{'Label_Online' | translate}} {{'Label_PresencialEOnline' | translate}}

{{item.titulo}}

{{'Label_DoacaoAPartir' | translate}} {{item.valores[0].valor | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{item.descricao}}
{{'Titulo_Gratis' |translate}} {{viewModel.configuracaoInscricaoEvento.descricaoEntradaGratis}}
{{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}} {{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}}  

{{entrada.valorComDesconto | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Label_APartirDe' | translate}} {{entrada.validoDe | date:viewModel.evento.cultura.formatoData}}
Calendar

{{'Titulo_NaoDisponivel' | translate}}

Simpósios Temáticos

ST 01 - Religião, cultura e suas representações: memórias, tradições e narrativas

Proponentes: Dr. João Paulo P. Silveira (ABHR/UEG); Ma. Janaína Josias de Castro (PUC-GO); Dr. Marcelo Reis (ABHR/UEG)

As religiões estão presentes em todas as sociedades, a despeito do processo de secularização. Recentemente, temos visto a emergência de fundamentalismos em diversas tradições religiosas, tais como o cristianismo, o judaísmo, o islamismo e o hinduísmo. Entre outras consequências desse fenômeno, temos a vinculação de grupos fundamentalistas com as extremas direitas ao redor do globo, assim como a sua associação a movimentos de negação da ciência, como os anti-vacina ou os que rejeitam a teoria da evolução. Essas aproximações acabam por ensejar reações dentro das próprias religiões, seja por desejarem um afastamento dessas questões para uma maior concentração nos temas espirituais, seja por entenderem que suas relações com a política e a ciência podem ser diferentes da forma que propõem os fundamentalistas. Tudo isso cria um debate que extrapola os limites dos grupos religiosos e se espalha por toda a sociedade, demandando um esforço de compreensão. Esse esforço deve ser empreendido pelos pesquisadores do campo das Ciências Sociais e das Humanidades, para que o fenômeno possa ser explicado em seus contornos atuais, mas também ter as suas origens desveladas. Assim, desenha-se um amplo campo de investigação e debate, que pretendemos pôr em evidência neste simpósio temático.


ST 02 – Patrimônio e religiões: interfaces

Proponentes: Dr. Eduardo Quadros (UEG/PUC-GO); Dr. Washington Maciel (UEG)

Por ser a religião um elemento importante da cultura brasileira, ela tem influenciado a política estatal de tombamentos e de registros desde seus primórdios. Atualmente o cenário é bastante diverso, deixando a referência básica das igrejas barrocas para incluir um amplo quadro de manifestações, que abarca terreiros de candomblé, centros espiritas, templos budistas, procissões até festas com santos de devoção popular. Esse simpósio temático oferece uma oportunidade para refletir acerca da relação básica entre as manifestações religiosas, seus espaços, suas práticas, crenças e rituais inseridos nos processos de patrimonialização, sejam estes oficializados ou não. Destacam-se como temas de debate as questões relacionadas a confissão religiosa como componente da identidade nacional, a presença dos símbolos sagrados nos espaços públicos, os problemas acarretados pela laicidade estabelecida juridicamente, o reconhecimento das identidades dos grupos religiosos subalternos e os objetos de caráter sagrado dispostos por acervos de museus.


ST 03 - Religião e religiosidade frente a secularização e o fundamentalismo religioso

Proponente: Esp. Raimundo Alves Martins (PUC-GO)

É salutar a compreensão de que as constantes mudanças socioculturais, ocorridas nas últimas décadas, forneceram insatisfações e causaram transformações nos sistemas tradicionais de crenças, de práticas e de valores religiosos. A partir do pensamento de alguns renomados teóricos, o presente ST postula teorizar e problematizar conceitos sobre alguns importantes temas, os quais são bem relevantes no âmbito de alguns estudos sociais-religiosos. Intencionamos, dessa forma, discutir aqui, com base em distinções terminológicas, acerca dos seguintes termos: religião, religiosidade, secularização e fundamentalismo religioso. Assim, debateremos, portanto, se existe uma preocupante seriedade, embutida sob as irreversíveis perspectivas e os desfavoráveis efeitos causados, por exemplo, pelo processo da secularização, nas diversas instituições religiosas atuais. 


ST 04 – Religiões, gênero e identidades

Proponentes: Dr. Robson Gomes Filho (ABHR/UEG); Maryana Stefany Mello Silva (UEG)

O simpósio temático proposto visa explorar a interseção entre gênero e religião em suas diversas dimensões e temáticas. A relação entre gênero e religião desempenha um papel fundamental na compreensão das experiências individuais e coletivas, bem como nas dinâmicas sociais e culturais relacionadas à religião, não sendo necessariamente restrita ao gênero feminino. Antes, este campo de estudos tem abordado os mais diversos temas e objetos que compreendem as relações de gênero que têm como problemática específica eventos, fenômenos ou assuntos relacionados à religião. Nesse sentido, o objetivo principal do simpósio é promover a discussão e o debate sobre a interação entre gênero e religião, fomentando o intercâmbio de ideias e a colaboração entre os participantes. Além disso, busca-se também incentivar a produção de conhecimento acadêmico e a divulgação de pesquisas recentes no campo, tomando como possíveis tópicos de interesse: representações de gênero nas tradições religiosas; análises críticas das imagens, papéis e estereótipos de gênero presentes nas diversas tradições religiosas; gênero e liderança religiosa; feminismo e religião; sexualidade, gênero e diversidade religiosa; mística feminina e relações de poder; corpo, gênero e ritual dentre outros. O simpósio acolherá apresentações de comunicações acadêmicas originais de pesquisas concluídas e em andamento. Serão selecionadas propostas que demonstrem rigor metodológico e contribuições significativas para o campo de estudo.


ST 05 – Religiões Afro-brasileiras: histórias e experiências de inserção em contextos locais

Proponente: Dr. André Luís Caes (ABHR/UEG)

As religiões afro-brasileiras têm na diversidade de manifestações ritualísticas, doutrinárias e simbólicas, uma de suas principais características. Essa diversidade se manifesta não apenas regionalmente, assumindo múltiplas formas de acordo com sua localização no contexto mais amplo das regiões do território brasileiro, mas também nas próprias localidades, onde os templos, centros, tendas e terreiros se diversificam em experiências dos mais variados estilos, com seus sincretismos e hibridismos. Nas localidades, mesmo as pequenas cidades do interior do Brasil, podemos encontrar essa diversidade, marcada também pelas diferentes experiências de aprendizado dos líderes espirituais que comandam as casas religiosas. Tendo em vista esta perspectiva, este Simpósio Temático pretende dialogar e refletir sobre pesquisas que abordem essa diversidade regional e local das religiões afro-brasileiras, acolhendo pesquisas que enfoquem as histórias e as experiências que se espalham pelas pequenas, médias e grandes cidades brasileiras, com suas diferentes visões sobre o papel da religião e diferentes contextos de inserção na sociedade (na forma de enfrentamento com a intolerância, o preconceito ou o respeito).


ST 06 – Religiões e religiosidades na modernidade tardia: cultura, interfaces polítias e o pensamento científico

Proponentes: Dr. Geraldo Witeze Junior (IFG-Anápolis) e Dr. Rangel Gomes Godinho (IFG-Anápolis)

As religiões estão presentes em todas as sociedades, a despeito do processo de secularização. Recentemente, temos visto a emergência de fundamentalismos em diversas tradições religiosas, tais como o cristianismo, o judaísmo, o islamismo e o hinduísmo. Entre outras consequências desse fenômeno, temos a vinculação de grupos fundamentalistas com as extremas direitas ao redor do globo, assim como a sua associação a movimentos de negação da ciência, como os anti-vacina ou os que rejeitam a teoria da evolução. Essas aproximações acabam por ensejar reações dentro das próprias religiões, seja por desejarem um afastamento dessas questões para uma maior concentração nos temas espirituais, seja por entenderem que suas relações com a política e a ciência podem ser diferentes da forma que propõem os fundamentalistas. Tudo isso cria um debate que extrapola os limites dos grupos religiosos e se espalha por toda a sociedade, demandando um esforço de compreensão. Esse esforço deve ser empreendido pelos pesquisadores do campo das Ciências Sociais e das Humanidades, para que o fenômeno possa ser explicado em seus contornos atuais, mas também ter as suas origens desveladas. Assim, desenha-se um amplo campo de investigação e debate, que pretendemos pôr em evidência neste simpósio temático.



Submissões

{{areaSiteEvento.jsonObj.configuracaoSubmissao.dataInicioSubmissao}} - {{areaSiteEvento.jsonObj.configuracaoSubmissao.dataLimiteSubmissao}}

{{item.denominacao}}
{{item.denominacao}}
{{item.denominacao}}

{{areaSiteEvento.titulo}}

Comissão Organizadora

JOAO PAULO DE PAULA SILVEIRA - UEG, Campus Oeste, UnU-Iporá 

MARCELO RODRIGUES DOS REIS - UEG, Campus Nordeste, sede Formosa

ELIEZER CARDOSO DE OLIVEIRA - UEG Campus Central, UnUCSEH

LEO CARRER NOGUEIRA - UEG Campus Sul, sede Morrinhos

MARIA IDELMA VIEIRA D'ABADIA UEG Campus Central, UnUCSEH

MARY ANNE VIEIRA SILVA UEG Campus Central, UnUCSEH

ROBSON RODRIGUES GOMES FILHO UEG Campus Sul, sede Morrinhos

PEDRO FERNANDO SAHIUM UEG Campus Central, UnUCSEH

CLARISSA ADJUTO ULHOA - UFJ

FLAVIA VALERIA CASSIMIRO BRAGA MELO - UEG Campus Central, UnU Aparecida de Goiânia


Comitê Científico

HAROLDO REIMER (UEG)

DEUZAIR JOSE DA SILVA (UEG)

SERGIO RICARDO DA MATA (UFOP)

BRUNA MARQUES CABRAL (Secretaria de Educação de São João do Meriti)

ORDALIA CRISTINA GONCALVES ARAUJO (UEG)

FLAVIO MUNHOZ SOFIATI (UFG)

THAIS ALVES MARINHO (PUC-GO)

ALBERTO DA SILVA MOREIRA (PUC-GO)

RENATA SIUDA AMBROZIAK (Universidade de Varsóvia)

FRANK ANTONIO MEZZOMO (UNESPAR)

IRINEIA MARIA FRANCO DOS SANTOS (UFAL)

EMERSON JOSE SENA DA SILVEIRA (UFJF)

FENGGANG YANG (Purdue University)

Realização e Apoios

Realização

Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Associação Brasileira para Pesquisa e História das Religiões (ABHR)

Instituto Acadêmico de Educação e Licenciaturas da UEG

Laboratório de Pesquisa em Religiões e Modernidades (LAPREM-UEG)



Apoio:

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

Editora Vozes


Parceiros 

Instituto Acadêmico de Educação e Licenciaturas da UEG

Programa de Pós-Graduação em Territórios e Expressões Culturais do Cerrado (TECCER-UEG)

Programa de Pós-Graduação em História da UEG (PPGHIS-UEG)

Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais, Memória e Patrimônio (PROMEP-UEG)

Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião (PPGCR-PUC/GO)

Núcleo de Estudos da Religião (NER-UFG)

?



Local do Evento

{{viewModel.evento.titulo}}

{{viewModel.evento.responsavelEvento}}