TEMPORALIZAÇÕES E TEMPORALIDADES NO ESTUDO DAS SIGNIFICAÇÕES: O TEMPO DA PANDEMIA

Publicado em 02/12/2021 - ISBN: 978-65-5941-447-5

Título do Trabalho
TEMPORALIZAÇÕES E TEMPORALIDADES NO ESTUDO DAS SIGNIFICAÇÕES: O TEMPO DA PANDEMIA
Autores
  • Nádia Dolores Fernandes Biavati
Modalidade
Resumo
Área temática
(3) A semântica, o ensino e a constituição de uma gramática do Português
Data de Publicação
02/12/2021
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
www.even3.com.br/Anais/semalin2021/410403-TEMPORALIZACOES-E-TEMPORALIDADES-NO-ESTUDO-DAS-SIGNIFICACOES--O-TEMPO-DA-PANDEMIA
ISBN
978-65-5941-447-5
Palavras-Chave
Semântica da Enunciação, Temporalidades, temporalizações, discursos, referencial histórico da pandemia
Resumo
A apresentação discute resultados da pesquisa de pós- doutoramento Sobre o tempo: domínios do sentido e(m) temporalidades e temporalizações. Tratamos do mundo que experienciamos por meio da linguagem quando mobilizamos dizeres durante a pandemia, levando-nos a produzir, inclusive, formas representativas da nossa condição de quarenteners em 2020 e 2021. A linguagem significa o mundo em que se instauram gestos representativos de posições, eventos e valores pelo nosso olhar. Dias (2018, p. 21) lembra algo importante: a significação “nunca é algo pronto, definitivo”, ou passível de simples reprodução do que é experienciado pelas formas de articulação, pois a linguagem nos toma, nos interpela e atualiza nossa forma de ver. Na pesquisa, a partir da Semântica Enunciativa, trazemos um olhar para estudos de Dias (2018) e Guimarães (2017) e analisamos formações nominais e(m) redes enunciativas que capturam a ideia das temporalidades, e verificamos que a produção de sentidos vai além da marcação cronológica do tempo pela linguagem. A ideia é que nós mobilizamos sentidos para produzir temporalizações pela língua, o que para nós se dá como (re)significações pela linguagem, em usos que se tornaram cotidianos na nossa sociedade pandêmica, como “quarentenar”, “pandemiar” e formações como “quarentena flexibilizada” e “quarentena solidária”. Lidar com a enunciação da pandemia nos trouxe desafios para compreendermos a ancoragem dos enunciados, ao mesmo tempo em que percebemos que o referencial histórico nos ajuda a explicar o acontecimento dos dizeres sobre a pandemia. Afinal, nós criamos o tempo e, como criação, podemos relacioná-lo à língua(gem) em dinâmicas de organização do sentido.
Título do Evento
IV Seminário Enunciação e Materialidade Linguística
Título dos Anais do Evento
Caderno de resumos do Seminário Enunciação e Materialidade Linguística
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

BIAVATI, Nádia Dolores Fernandes. TEMPORALIZAÇÕES E TEMPORALIDADES NO ESTUDO DAS SIGNIFICAÇÕES: O TEMPO DA PANDEMIA.. In: Caderno de resumos do Seminário Enunciação e Materialidade Linguística. Anais...Belo Horizonte(MG) UFMG, 2021. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/semalin2021/410403-TEMPORALIZACOES-E-TEMPORALIDADES-NO-ESTUDO-DAS-SIGNIFICACOES--O-TEMPO-DA-PANDEMIA. Acesso em: 25/04/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes