NOVO PEPTÍDEO HIDROFÓBICO MIMETIZANTE DA PROTEÍNA ß-AMILOIDE PARA INDUÇÃO DE DEMÊNCIA EM CAMUNDONGOS

Publicado em 23/09/2022 - ISSN: 2237-8073

Título do Trabalho
NOVO PEPTÍDEO HIDROFÓBICO MIMETIZANTE DA PROTEÍNA ß-AMILOIDE PARA INDUÇÃO DE DEMÊNCIA EM CAMUNDONGOS
Autores
  • Camille Mezzari
  • Julia Mendes
  • Jose Mauro Moraes dos Santos
  • Eduarda Behenck Medeiros
  • Ellen De Pieri
  • Maria Eduarda de Melo
  • Franciane de costa constante
  • Josiane Budni
  • Ricardo Andrez Machado de Ávila
Modalidade
Pesquisa - Resumo Concluído
Área temática
Ciências da Saúde - Biomedicina
Data de Publicação
23/09/2022
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/sct2021/415554-novo-peptideo-hidrofobico-mimetizante-da-proteina-%3f-amiloide-para-inducao-de-demencia-em-camundongos
ISSN
2237-8073
Palavras-Chave
Modelo de demência. Doença de Alzheimer. Bioinformática. Biomolécula.
Resumo
O envelhecimento acelerado da população mundial é evidente e como consequência desse novo cenário observa-se um aumento na incidência de doenças neurodegenerativas, entre as quais, pode-se destacar a Doença de Alzheimer (DA). Os principais sintomas ocorrem pelo declínio das funções cognitivas, com perda de memória, linguagem e demais habilidades com a evolução da doença. Recentes estudos vêm confirmando que a neurodegeneração na DA está associada às placas senis insolúveis extracelulares e aos emaranhados neurofibrilares intracelulares. As placas senis são compostas principalmente pelo peptídeo ß-amiloide (ßA), enquanto os emaranhados são compostos principalmente pela proteína do citoesqueleto, tau. No entanto, a teoria mais aceita para explicar a patogênese da DA é a hipótese da cascata amiloide, que propõe que a deposição de ßA é o evento patológico inicial na DA. As formas mais longas do peptídeo, especialmente o ßA1-42, são mais hidrofóbicos e mais tóxicos, por isso, esse peptídeo vem sendo utilizado como indutor de demência em animais. Porém, devido aos altos custos financeiros e dificuldades de importação do ßA estes experimentos se tornam limitados. O objetivo desse estudo foi predizer e sintetizar um peptídeo hidrofóbico a partir do ßA1-42 que mimetize sua função na indução da demência em modelo animal. Esse peptídeo recebeu o nome de peptídeo 16-21. A predição do peptídeo foi realizada através de programas de Bioinformática e a síntese foi realizado por meio da técnica Fmocs. Para avaliar a capacidade do peptídeo de induzir a demência em animas foram utilizados 60 camundongos BALB/c, machos com 2 meses. Esses animais receberam a injeção i.c.v. de ßA1-42, peptídeo 16-21 em diferentes concentrações e de fluído cerebroespinhal artificial (ACSF) associado a água ou a dimetilsulfóxido (DMSO). Posteriormente, os camundongos foram submetidos a dois testes comportamentais: labirinto em Y e labirinto octogonal, ambos para avaliar a memória espacial. Os resultados obtidos sugerem que o peptídeo 16-21 foi capaz de induzir demência em modelo animal, sendo que as diferentes doses do peptídeo não levaram a diferenças comportamentais significativas. Desta forma, o peptídeo 16-21 é uma biomolécula promissora para indução de demência tipo DA em um modelo animal.
Título do Evento
XII Semana de Ciência e Tecnologia
Título dos Anais do Evento
Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense)
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital

Como citar

MEZZARI, Camille et al.. NOVO PEPTÍDEO HIDROFÓBICO MIMETIZANTE DA PROTEÍNA ß-AMILOIDE PARA INDUÇÃO DE DEMÊNCIA EM CAMUNDONGOS.. In: Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense). Anais...Criciúma(SC) UNESC, 2021. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/sct2021/415554-NOVO-PEPTIDEO-HIDROFOBICO-MIMETIZANTE-DA-PROTEINA-%3f-AMILOIDE-PARA-INDUCAO-DE-DEMENCIA-EM-CAMUNDONGOS. Acesso em: 19/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes