ASSOCIAÇÃO ENTRE O CONSUMO ALIMENTAR E EXCESSO DE PESO NAS CAPITAIS BRASILEIRAS: VIGITEL 2019

Publicado em 23/09/2022 - ISSN: 2237-8073

Título do Trabalho
ASSOCIAÇÃO ENTRE O CONSUMO ALIMENTAR E EXCESSO DE PESO NAS CAPITAIS BRASILEIRAS: VIGITEL 2019
Autores
  • João Felipe Rocha Pinheiro
  • Micaela Rabelo Quadra
  • Fernanda de Oliveira Meller
  • Antônio Augusto Schäfer
Modalidade
Ensino - Resumo Concluído
Área temática
Ciências da Saúde - Medicina
Data de Publicação
23/09/2022
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/sct2021/415029-associacao-entre-o-consumo-alimentar-e-excesso-de-peso-nas-capitais-brasileiras--vigitel-2019
ISSN
2237-8073
Palavras-Chave
Consumo alimentar, estado nutricional, sobrepeso, obesidade, estudos transversais.
Resumo
A compreensão da relação entre consumo alimentar e estado nutricional é essencial para a saúde da população brasileira. O presente estudo objetivou avaliar a associação entre o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados e ultraprocessados e o excesso de peso em indivíduos com 18 anos ou mais, residentes nas 26 capitais do Brasil e no Distrito Federal. Assim, realizou-se uma pesquisa de caráter transversal com dados da Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (Vigitel) de 2019, que avaliou a população com 18 anos ou mais de idade residente nas 26 capitais e no DF. O excesso de peso foi a variável desfecho, definido como Índice de massa corporal (IMC) = 25Kg/m² para adultos até 59 anos e IMC = 27Kg/m² para idosos a partir de 60 anos, enquanto o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados e ultraprocessados no dia anterior à entrevista foi a exposição. As covariáveis estudadas foram: sexo, idade, cor da pele, escolaridade, e macrorregião de moradia. Regressão de Poisson ajustada foi utilizada para avaliar a associação entre consumo alimentar e excesso de peso, e modelo hierárquico de análise foi considerado para ajuste das covariáveis como fatores de confusão. Ademais, análise de sensibilidade foi realizada através do teste de tendência linear para avaliar o número de alimentos consumidos e sua relação com o excesso de peso. Foram estudados 52.443 brasileiros. Maior prevalência de excesso de peso foi associada ao consumo de refrigerante (RP=1,08; IC95% 1,04-1,10) e carnes (RP=1,12; IC95%1,04-1,21). Por outro lado, constatou-se que consumir verduras; legumes (abóbora, cenoura, batata-doce, quiabo); frutas (laranja, banana, maçã, abacaxi, mamão, manga, melão, pequi); cerais; leguminosas; leite e oleaginosas, se relacionou à menor prevalência deste estado nutricional. Além disso, tendência linear inversa foi encontrada na associação entre excesso de peso e a quantidade de alimentos in natura ou minimamente processados e ultraprocessados consumidos. Conclui-se que o consumo alimentar influencia a prevalência de excesso de peso na população, tornando o desenvolvimento de ações de saúde para incentivar o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, essencial para combater o excesso de peso no Brasil.
Título do Evento
XII Semana de Ciência e Tecnologia
Título dos Anais do Evento
Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense)
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital

Como citar

PINHEIRO, João Felipe Rocha et al.. ASSOCIAÇÃO ENTRE O CONSUMO ALIMENTAR E EXCESSO DE PESO NAS CAPITAIS BRASILEIRAS: VIGITEL 2019.. In: Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense). Anais...Criciúma(SC) UNESC, 2021. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/sct2021/415029-ASSOCIACAO-ENTRE-O-CONSUMO-ALIMENTAR-E-EXCESSO-DE-PESO-NAS-CAPITAIS-BRASILEIRAS--VIGITEL-2019. Acesso em: 16/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes