TAXA DE MORTALIDADE DE CÂNCER DE PRÓSTATA NO BRASIL

Publicado em 23/09/2022 - ISSN: 2237-8073

Título do Trabalho
TAXA DE MORTALIDADE DE CÂNCER DE PRÓSTATA NO BRASIL
Autores
  • João Felipe Rocha Pinheiro
  • Lisiane Tuon
  • Leticia Monteiro Bettiol
  • Lucas de Carvalho Piva
  • Tamy Colonetti
Modalidade
Ensino - Resumo Concluído
Área temática
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Data de Publicação
23/09/2022
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/sct2021/414578-taxa-de-mortalidade-de-cancer-de-prostata-no-brasil
ISSN
2237-8073
Palavras-Chave
próstata, neoplasia, óbitos, população, homens
Resumo
O câncer de próstata é uma patologia que acomete, em sua maioria, homens a partir dos 65 anos de idade (MODESTO, 2018). Seu rastreio é preconizado, no Brasil, em homens na faixa etária de 50 a 70 anos a partir do exame de dosagem do Antígeno Prostático Específico e pelo toque retal (INCA, 2002). Esse exame é escolhido por ter baixo custo e por ser de fácil implantação (ORTIZ, 2015). Na maioria das vezes, o homem procura os centros de atendimento apenas no caráter curativo, negligenciando a prevenção dos agravos à sua saúde (SANTIAGO, 2015). Contudo, há a identificação da modificação do comportamento da população masculina, que passou a adotar as modificações do hábito de vida de acordo com o tratamento indicado para sua patologia (YOSHIDA, 2016). O presente trabalho objetivou avaliar a incidência de mortalidade em homens com câncer de próstata no Brasil. O estudo apresenta uma abordagem quantitativa, de caráter ecológico, descritivo e retrospectivo, que utilizou dados do Sistema de Informações em Saúde presente no DATASUS e do Instituto Nacional de Câncer (INCA), referentes às informações regionais, socioeconômicas e desfechos do câncer de próstata no sistema. Assim, os principais resultados foram que entre o ano de 2014 e 2019 o maior número de óbitos por CaP (câncer de próstata) na população do sexo masculino foi em 2019, com 2,14% dos óbitos, seguido do ano de 2018 com 2,12% dos óbitos. Além disso, observou-se que, na macrorregião Sul 2,30% dos óbitos é devido a CaP, seguida macrorregião Nordeste com 2,16% dos óbitos. Ademais, o maior número de óbitos por CaP está presente na faixa etária acima de 80 anos de idade com 4,11% dos óbitos, seguido da faixa etária de 70-79 anos de idade, com 3,60% dos óbitos. Outro dado importante é que na cor preta 2,64% (9.093) dos óbitos ocorreram devido a essa neoplasia, em seguida a cor amarela 2,44% (569) dos óbitos. Por fim, os pacientes com baixa escolaridade são os mais acometidos pela CaP 3,02% (17.640) dos óbitos. Assim, conclui-se que se faz necessário fortalecer as campanhas de prevenção como o novembro azul, confecção de estudos sobre o tema e disponibilização de informação de fácil acesso e qualidade, para que essa população procure atendimento cada vez mais de forma preventiva e menos de forma curativa. Esperando-se que assim, reduza o número de mortalidade por Neoplasia maligna de próstata.
Título do Evento
XII Semana de Ciência e Tecnologia
Título dos Anais do Evento
Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense)
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital

Como citar

PINHEIRO, João Felipe Rocha et al.. TAXA DE MORTALIDADE DE CÂNCER DE PRÓSTATA NO BRASIL.. In: Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense). Anais...Criciúma(SC) UNESC, 2021. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/sct2021/414578-TAXA-DE-MORTALIDADE-DE-CANCER-DE-PROSTATA-NO-BRASIL. Acesso em: 23/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes