AVALIAÇÃO DO RISCO DE DEPRESSÃO E ANSIEDADE DOS PACIENTES ATENDIDOS NO CER II/UNESC COM DEFICIÊNCIA AGUDA

Publicado em 23/09/2022 - ISSN: 2237-8073

Título do Trabalho
AVALIAÇÃO DO RISCO DE DEPRESSÃO E ANSIEDADE DOS PACIENTES ATENDIDOS NO CER II/UNESC COM DEFICIÊNCIA AGUDA
Autores
  • Atauan Gomes Gonçalves
  • Amanda Farias Goulart
  • KETULIN COUTINHO DA ROSA
  • Keli Dias Feltrin
  • Gabriella Elias
  • Ana Carolina Felicidade Stagnaro
  • Maria Madalena Santiago
  • Magada Tessman Schwalm
Modalidade
Pesquisa - Resumo em Andamento
Área temática
Ciências da Saúde - Enfermagem
Data de Publicação
23/09/2022
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/sct2021/414569-avaliacao-do-risco-de-depressao-e-ansiedade-dos-pacientes-atendidos-no-cer-iiunesc-com-deficiencia-aguda
ISSN
2237-8073
Palavras-Chave
DEPRESSÃO, ESCALA DE HAMILTON, DIFICIENCIA AGUDA.
Resumo
A escala de avaliação de depressão de Hamilton (HAM-D) de acordo com Freire et al, (2014) originou-se com objetivo de ser utilizada unicamente em pacientes inicialmente diagnosticados ou com risco presumido de transtorno afetivo do tipo depressivo. Essa escala mede a gravidade dos sintomas depressivos verificados pelo avaliador (ZINGANO, 2015). Trata-se de uma pesquisa quantitativa, transversal, descritiva e de campo que objetivou avaliar o risco de depressão dos pacientes atendidos no CERII/UNESC com deficiência aguda. O Centro Especializado de Reabilitação da Universidade do Extremo Sul Catarinense (CER/UNESC) atende pacientes com deficiência física aguda e realiza fechamento diagnóstico de deficiência intelectual, transtorno do espectro autista desde o ano de 2014. Dentre os instrumentos utilizados na avaliação global (acolhimento) e pré-alta, está incluída a Escala de Hamilton. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, transversal e de campo, realizada no CER utilizando-se a escala de depressão de Hamilton dos 45 pacientes atendidos de maio de 2021 até o presente momento. Os resultados parciais demonstram que 42% é do sexo feminino e 58% masculino, com idade média de 54 anos, predominantemente brancos 89%, 64% católicos, 33% com nível de escolaridade fundamental completo, 52% casados, 81% com filhos, tendo como cuidador principal outros cuidadores 35%, 37% são fumantes, 50% adentraram ao CER tendo como motivo AVE isquêmico, 10% como AVE hemorrágico, 21% outros motivos e 19% não responderam. Com tempo de permanência no CER de um mês a mais de dois anos, tendo a maioria histórico familiar para doença cardiovascular, com comorbidades como HAS e Diabetes. Quanto a Escala de Hamilton, os paciente com pontuação abaixo de 10, correspondem à 45% dos entrevistados, desta maneira apresentam sem depressão ou depressão leve; Assim, com pontuação de 10 à 18, correspondem 37,14% dos entrevistados, no qual apresentam depressão leve a moderada; E com pontuação de 19 à 29, correspondem 28,85% dos entrevistados, pelo qual apresentaram depressão moderada a grave; Desta forma, com pontuação de 30 à 63, 0% dos entrevistados apresentaram depressão grave. A partir da avaliação da escala de Hamilton, é possível a equipe multidisciplinar realizar junto com paciente e familiar a construção do Projeto Terapêutica Singular que dará o norte da reabilitação do paciente de forma integral, incluindo-se a saúde mental deste, e sua família uma vez que está é diretamente atingida pelas sequelas sociais ocasionadas nos casos de deficiência física e prevenir o risco de depressão por parte dos pacientes. A utilização da escala de Hamilton é útil para avaliação do risco de depressão em pacientes com deficiência física aguda e/ou intelectual, sendo necessário a intervenção multiprofissional, para o tratamento e realização de terapias, tanto por parte do paciente quanto de sua família da adesão para o tratamento.
Título do Evento
XII Semana de Ciência e Tecnologia
Título dos Anais do Evento
Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense)
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital

Como citar

GONÇALVES, Atauan Gomes et al.. AVALIAÇÃO DO RISCO DE DEPRESSÃO E ANSIEDADE DOS PACIENTES ATENDIDOS NO CER II/UNESC COM DEFICIÊNCIA AGUDA.. In: Anais da Semana de Ciência e Tecnologia (Universidade do Extremo Sul Catarinense). Anais...Criciúma(SC) UNESC, 2021. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/sct2021/414569-AVALIACAO-DO-RISCO-DE-DEPRESSAO-E-ANSIEDADE-DOS-PACIENTES-ATENDIDOS-NO-CER-IIUNESC-COM-DEFICIENCIA-AGUDA. Acesso em: 14/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes