CONTAÇÃO DE HISTÓRIA E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO CONTEXTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE CAPANEMA-PA

Publicado em 03/05/2023 - ISBN: 978-85-5722-738-5

Título do Trabalho
CONTAÇÃO DE HISTÓRIA E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO CONTEXTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE CAPANEMA-PA
Autores
  • ANTONIO RAFAEL BARBOSA MENDONCA
  • Janete Do Socorro silva Cavalcante
  • Ana Paula Viera e Souza
  • Glauber Freitas de Souza
Modalidade
Comunicações Orais - Resumo Expandido
Área temática
GT 4 - Currículo, Formação de Professores, Relações éticos raciais, Infancias e cultura material nas territorialidades amazônicas
Data de Publicação
03/05/2023
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/iii-silssa/614423-contacao-de-historia-e-relacoes-etnico-raciais-no-contexto-do-estagio-supervisionado-na-educacao-infantil-de-capa
ISBN
978-85-5722-738-5
Palavras-Chave
Atividade Lúdica, Racismo, Respeito.
Resumo
INTRODUÇÃO Esta produção textual é resultante da pesquisa realizada no Estágio Supervisionado na Educação Infantil, Campus Universitário de Bragança, Universidade Federal do Pará. O Plano de intervenção foi realizado com uma turma da Pré-Escola da Escola Municipal de Educação Infantil Meirivaldo Jonair de Paiva, município de Capanema, região nordeste do Estado do Pará. A proposta da atividade lúdica foi a contação de histórias na interface do campo do conhecimento das relações étnico-raciais. Assim, a obra trabalhada com as crianças foi o livro Caminhos trilhados na luta antirracista de autoria da Professora Dra Zélia Amador de Deus, pesquisadora, mulher negra e amazônica. Houve escolha desse gênero literário, por se tratar de uma narrativa que mostra aspectos de lutas e resistência da pesquisadora e militante do movimento negro. O enredo da obra de Amador de Deus narra as experiências de violências como discriminação e racismo enfrentadas por ela no ambiente escolar, na fase da infância e adolescência, principalmente, na etapa da Educação Infantil. Amador de Deus (2020) rememora situações de racismo às crianças negras por meio de práticas manifestadas por mensagens com tom de “brincadeiras” por parte de pessoas racistas. Considerando, a narrativa literária de Zélia Amador de Deus que a proposta do plano de ação foi propor às crianças por meio da contação de história na Educação Infantil as questões étnico-raciais com base no Livro literário infantil A menina bonita do laço de fita de autoria de Ana Maria Machado (1986), que conta a respeito da beleza negra. O conhecimento das relações étnico-raciais deve fazer parte dos curículos escolares, ainda que não seja essa a realidade de muitas Escolas no Município de Capanema, mas são formas de enfretamento do racismo nesse ambiente, de ensinar as crianças o respeito às diferenças e promover uma educação antirracista na Educação Infantil. A contação de história é uma ferramenta educativa que utiliza uma linguagem de atividades lúdicas, bem como é um dos elementos dos brincares. Por representar uma arte com linguagem acessível às crianças, permite a elas desenvolverem a imaginação, criatividade, interação com outro e se apropriar do mundo adulto e do universo infantil. Nesse sentido, a contação de história da “Menina bonita do laço de fita” teve o objetivo de propocionar aprendizados às crianças no combate às práticas racistas, inclusão, conscientização, respeito às diferenças, assim como o sentimento de valorização e pertencimento da identidade da criança negra. RECURSOS PEDAGÓGICOS E MÉTODO DE ABORDAGEM A atividade iniciou com a contação da história da Professora Zélia Amador de Deus e entrelaçando com a história da Menina bonita do laço de fita. Propusemos atividades de pinturas para se observar o lápis da cor da pele, as crianças foram provocadas a respeito de qual é a cor da pele? Só tem uma cor a pele? Nas atividades utilizamos da técnica da observação participante, conforme as crianças realizavam as pinturas também interagiam entre si e com a professora e estágiarios. A observação participante favorece a inserção de pesquisadores (as) no espaço e estabelecer interpretações sobre a atividade de cada criança. As crianças ainda realizaram a montagem de uma menina negra com as características da personagem da história. Essas ações pedagógicas eram acompanhadas de indagações a respeito do preconceito, racismo, da valoração da pessoa negra. RESULTADOS Ao longo da história da “Menina bonita do laço de fita”, assim como o coelho, as crianças também demonstraram curiosidade para descobrir o porquê da menina ser negra. A cada resposta que ela dava, as crianças ficavam inquietas para saber se o animal tinha conseguido ficar de sua cor. No enredo quando a Menina Bonita explica que é preta porque tomou muito café, uma das crianças menciona que talvez também seja esse o motivo de um de seus colegas de turma ser negro. Nesses momentos, fazíamos intervenções para explicar a cor da pele, a melanina, a diferença, o respeito e que o racismo machuca o colega. No desfecho da história, o coelho busca saber o motivo da menina ser uma pessoa negra, inteligente e muito bela. Ao ser interrompida pela mãe, que percebeu que a garota ia dizer algo sem sentido. A mãe esclarece ao coelho que a menina tem a pele negra porque se parecia com a avó, pois a sua ancestralidade é preta. Para as crianças é explicado que a menina é negra porque se parece com a avó, comentando que cada pessoa é única, com carascteríticas do cabelo, olhos, cor de pele próprias, que sempre alguém tem traços da sua família. A professora supervisora aproveitou o momento para explicar que o colega da classe é negro como a menina Bonita da história porque herdou a característica de alguém da sua família. As crianças confecionaram o desenho da menina Bonita, coloriram e criaram o cabelo com lã preta. Ao longo dessa atividade, ao pintarem a menina negra e com os cabelos cacheados, eles sempre relacionavam essas características a alguém da família que também se parecia com ela. No final da atividade a professora falou da importância de respeitar todos os coleguinhas, pois assim como a menina do laço de fitas todos tem belezas raras. Além disso, disse que às vezes algumas brincadeiras sobre o cabelo ou cor de pele de um colega pode o deixar triste, por isso falou de não usar expressões com tom de “brincadeira” para não magoar o colega. CONSIDERAÇÕES FINAIS A atividade de caráter lúdico como a contação de história é uma ferramenta para abordar questões como as relações étinco-raciais, que devem ser apresentadas as crianças na etapa da Educação Infantil. Uma dessas temáticas envolve a valorização da identidade da pessoa negra e a conscientização desde a infância sobre o racismo. A história da “Menina bonita do laço de fitas” mostrou-se como uma excelente estratégia para apresentar essa discussão aos alunos da educação infantil. O caráter lúdico, humorado e ilustrativo do livro, prendeu a atenção dos estudantes, assim como a dinâmica os instigou a participar e interagir ao longo da contagem da história. A atividade mostrou que estratégias de ensino lúdicas com os alunos, de maneira que instigue a interação e participação, contribui para o desenvolvimento da sua criatividade e para plantar uma “sementinha” que futuramente pode contribuir para sua formação enquanto pessoa. Desde cedo, na escola e demais ambientes as crianças precisam entrar em contato com atividades que incitem o respeito às diferenças e da inclusão. Deve-se romper a ideia de que beleza está relacionada à branquitude e incentivar a valorização da beleza negra, assim como o pertencimento de identidade da criança negra. Além do mais, é necessário que as crianças recebam a orientação necessária para ser retirada de seu dia a dia, falas e brincadeiras de cunho preconceituoso e racista, que muitas vezes são tratadas com normalidade. REFERÊNCIAS DE DEUS, Z. A. Caminhos trilhados na luta antirracista. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020. MACHADO, A. M. Menina bonita do laço de fita. São Paulo: Melhoramentos, 1986.
Título do Evento
III SILSSA - Seminário Internacional Linguagens Saberes e Sociobiodiversidade na Amazônia
Cidade do Evento
Bragança
Título dos Anais do Evento
Anais do III Silssa - Seminário Internacional de Linguagens, Saberes e Sociobiodiversidade na Amazônia
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

MENDONCA, ANTONIO RAFAEL BARBOSA et al.. CONTAÇÃO DE HISTÓRIA E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO CONTEXTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE CAPANEMA-PA.. In: Anais do III Silssa - Seminário Internacional de Linguagens, Saberes e Sociobiodiversidade na Amazônia. Anais...Bragança(PA) UFPA, 2023. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/iii-silssa/614423-CONTACAO-DE-HISTORIA-E-RELACOES-ETNICO-RACIAIS-NO-CONTEXTO-DO-ESTAGIO-SUPERVISIONADO-NA-EDUCACAO-INFANTIL-DE-CAPA. Acesso em: 17/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes