A VARIAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA COMO PREDITORA DE ALTERAÇÕES CEREBRAIS APÓS TRAUMATISMO CRANIANO EM VIAGENS ESPACIAIS.

Publicado em 10/03/2023 - ISBN: 978-85-5722-648-7

Título do Trabalho
A VARIAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA COMO PREDITORA DE ALTERAÇÕES CEREBRAIS APÓS TRAUMATISMO CRANIANO EM VIAGENS ESPACIAIS.
Autores
  • Mateus Gonçalves de Sena Barbosa
  • Maria Gabriella Borges Braga
  • NICOLLAS NUNES RABELO
Modalidade
Resumo simples
Área temática
Outras áreas da saúde
Data de Publicação
10/03/2023
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/ii-congresso-nacional-de-trauma-e-medicina-de-emergencia-293952/611551-a-variacao-da-pressao-intracraniana-como-preditora-de-alteracoes-cerebrais-apos-traumatismo-craniano-em-viagens-e
ISBN
978-85-5722-648-7
Palavras-Chave
Pressão intracerebral. Traumatismo cranioencefálico. Voos espaciais.
Resumo
Introdução: O traumatismo cranioencefálico (TCE) é uma das maiores preocupações da NASA em relação aos membros da tripulação em voos espaciais, assim, tem-se buscado formas de intervenção. Metodologia: Essa é uma revisão sistemática da literatura, baseada no método PRISMA. A seleção dos artigos foi realizada no MEDLINE, EMBASE e SciELO, usando os seguintes descritores: traumatismo cranioencefálico, pressão intracraniana e viagens espaciais, sendo selecionados os artigos publicados de 2017 - 2023, disponíveis em inglês, espanhol e português. Cada artigo obtido na íntegra e analisados. Objetivo: Analisar a avaliação da PIC como forma de intervir na prevalência de TCE na tripulação em voos espaciais. Resultados: O TCE pode comprometer as vidas dos tripulantes e também missões espaciais. Portanto, há uma grande necessidade de uma alternativa eficiente e acessível para avaliar a pressão intracraniana (PIC) para aqueles que seguem para o espaço, onde é repleto de desafios, como compreender e manter os sistemas fisiológicos naquele lugar. Entender a complacência intracraniana (CIC) é extremamente relevante, uma vez que se relaciona com a PIC, demonstrando assim que pequenas variações no volume intracraniano desencadeiam grandes mudanças na PIC, consequentemente trazendo riscos para o indivíduo. Portanto, isso destaca a necessidade do uso de sensores não invasivos para avaliar o PIC e o CIC de tripulantes de voos espaciais, ambos antes e durante a viagem. Além do número absoluto da PIC, o monitoramento da forma de onda PIC (PICwf ) pode ser usado como um método para avaliar e monitorar os pacientes. Esses dados permitem o acesso a mais informações precisas do que apenas o número de cortes da PIC, uma vez que PICwf está relacionado a CIC. Assim, pode fornecer melhores informações para antecipar alterações cerebrais, comparando apenas o número da PIC. Conclusão: É uma excelente alternativa real para monitorar e avaliar o PIC da tripulação de voo através de sensores amplos, acessíveis, fáceis de manusear antes, durante e no final das missões. Pode servir como um ferramenta inestimável para reduzir substancialmente os riscos de saúde debilitantes, otimizando ainda mais a saúde e a segurança da tripulação e, em geral, sucesso das missões espaciais.
Título do Evento
II Congresso Nacional de Trauma e Medicina de Emergência
Título dos Anais do Evento
Anais do II Congresso Nacional de Trauma e Medicina de Emergência
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

BARBOSA, Mateus Gonçalves de Sena; BRAGA, Maria Gabriella Borges; RABELO, NICOLLAS NUNES. A VARIAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA COMO PREDITORA DE ALTERAÇÕES CEREBRAIS APÓS TRAUMATISMO CRANIANO EM VIAGENS ESPACIAIS... In: Anais do II Congresso Nacional de Trauma e Medicina de Emergência. Anais...Manaus(AM) Manaus, 2023. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/ii-congresso-nacional-de-trauma-e-medicina-de-emergencia-293952/611551-A-VARIACAO-DA-PRESSAO-INTRACRANIANA-COMO-PREDITORA-DE-ALTERACOES-CEREBRAIS-APOS-TRAUMATISMO-CRANIANO-EM-VIAGENS-E. Acesso em: 24/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes