ANÁLISE QUANTITATIVA DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE URBANA DO RIO VEADO, EM GUAÇUÍ-ES, NO ANO DE 2013

Publicado em 14/09/2020 - ISBN: 978-65-88243-28-2

Título do Trabalho
ANÁLISE QUANTITATIVA DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE URBANA DO RIO VEADO, EM GUAÇUÍ-ES, NO ANO DE 2013
Autores
  • Caio Henrique Ungarato Fiorese
Modalidade
Artigo Original Completo
Área temática
Ciência Agrárias: Diversos
Data de Publicação
14/09/2020
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/divciagro2020/268638-analise-quantitativa-da-cobertura-vegetal-da-area-de-preservacao-permanente-urbana-do-rio-veado-em-guacui-es-no
ISBN
978-65-88243-28-2
Palavras-Chave
Legislação ambiental, Proteção dos recursos hídricos, Serviços ecossistêmicos, Urbanização.
Resumo
Áreas de preservação permanente (APPs) são espaços criados para, entre outras funções, proteger a biodiversidade e os cursos hídricos. Todavia, a vegetação nesses espaços nas cidades têm sofrido com a intensa ação antrópica. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi quantificar e geoespacializar a vegetação florestal da área de preservação permanente (APP) do trecho urbano do rio Veado, no município de Guaçuí (ES), a fim de subsidiar melhorias em termos de conservação desse recurso hídrico aliada ao desenvolvimento econômico e sustentável. Os procedimentos ocorreram no programa ArcGis®. Inicialmente, foi traçado o trecho urbano do Rio Veado com auxílio de banco de dados geográficos adquiridos em portais eletrônicos. A demarcação da largura da APP ocorreu em conformidade com o novo Código Florestal Brasileiro. Através de uma aerofoto com resolução de 0,25 m, as áreas de arborização e gramíneas foram identificadas, quantificadas e mapeadas. As áreas de arborização e gramíneas corresponderam a, respectivamente, 37,77% e 11,64%, somando 49,41%. Tais valores foram considerados satisfatórios, porém, não expressivos, sendo atribuídos ao forte crescimento urbano. A vegetação, mais concentrada nas proximidades do leito do rio, não esteve predominantemente fragmentada, sendo um fator positivo para a fauna e a qualidade hídrica. Manejo e planejamento correto do uso do solo, preservação e monitoramento da qualidade da água, reflorestamento de trechos de APP e conscientização ambiental são medidas indispensáveis. Para futuros estudos, sugere-se a verificação dos impactos antrópicos na APP sobre a fauna e qualidade das águas do Rio Veado.
Título do Evento
DIVCIAGRO - Evento de Divulgação de Trabalhos Científicos em Ciências Agrárias
Título dos Anais do Evento
Anais do DIVCIAGRO - Evento de Divulgação de Trabalhos Científicos em Ciências Agrárias
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

FIORESE, Caio Henrique Ungarato. ANÁLISE QUANTITATIVA DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE URBANA DO RIO VEADO, EM GUAÇUÍ-ES, NO ANO DE 2013.. In: Anais do DIVCIAGRO - Evento de Divulgação de Trabalhos Científicos em Ciências Agrárias. Anais...Botucatu(SP) DIVCIAGRO, 2020. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/divciagro2020/268638-ANALISE-QUANTITATIVA-DA-COBERTURA-VEGETAL-DA-AREA-DE-PRESERVACAO-PERMANENTE-URBANA-DO-RIO-VEADO-EM-GUACUI-ES-NO. Acesso em: 16/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes