RELATO DE EXPERIÊNCIA: INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO APRENDIZAGEM DE ARQUITETURA E URBANISMO

Publicado em 30/12/2020 - ISBN: 978-65-5941-071-2

Título do Trabalho
RELATO DE EXPERIÊNCIA: INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO APRENDIZAGEM DE ARQUITETURA E URBANISMO
Autores
  • Renata Benedetti Mello Nagy Ramos
  • Eymard Cezar Araujo Ferreira
Modalidade
Comunicação oral (Resumo expandido)
Área temática
Interdisciplinaridade
Data de Publicação
30/12/2020
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/conigran2020/270088-relato-de-experiencia--interdisciplinaridade-no-ensino-aprendizagem-de-arquitetura-e-urbanismo
ISBN
978-65-5941-071-2
Palavras-Chave
Interdisciplinaridade, relato de experiência, ensino aprendizagem, Arquitetura e Urbanismo
Resumo
(i) Introdução: Os processos de ensino-aprendizagem nas disciplinas do curso de Arquitetura e Urbanismo, em geral, apresentam dificuldades de implementação de ações conjuntas entre professores, bem como a implementação da interdisciplinaridade. Entre os obstáculos, Cardoso; Walvy; Goldbach (2011), destacam a formação muito específica dos docentes, a distância entre as linguagens, perspectivas e métodos das disciplinas de determinada área do conhecimento e a ausência de espaço e de tempo nas instituições destinados a reflexão, avaliação e implantação de inovações educativas. Nesse contexto, Batistello; Balzan; Pereira (2016), afirmam que o ensino de Arquitetura e Urbanismo vêm sendo muito discutido atualmente, principalmente no âmbito da integração dos conteúdos. Segundo Thiesen (2008), a interdisciplinaridade busca superar a visão fragmentada do processo de conhecimento. E, ao relacionar duas disciplinas, no contexto da interdisciplinaridade, buscamos contemplar o ensino aprendizagem a partir de um olhar integrado sob diferentes pontos de vista. A disciplina de Planejamento e Desenho Urbano, aborda entre outros conteúdos, os conceitos de morfologia urbana, a compreensão do ambiente urbano e as formas de atuação com o objetivo de desenvolver propostas de intervenção urbana, articulando diferentes escalas, a urbana e a local (bairro, área ou setor), sob o ponto de vista dos sistemas de espaços livres. Ao compreender que os traçados das grandes circulações urbanas devem enfatizar questões como sustentabilidade, meio ambiente e qualidade de vida da população, partimos do pressuposto que a qualidade de vida está relacionada ao potencial da infraestrutura oferecida no meio urbano (gestão pública, serviços e equipamentos urbanos), associados aos sistema dos espaços livres urbanos (infraestrutura verde, sustentabilidade ambiental, arborização urbana, sistema viário, transporte coletivo, trânsito e mobilidade urbana) estudados na disciplina Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente. Com isso, no início do semestre 2019/1, foi definido que os conteúdos teóricos seriam trabalhados em atividades práticas, nas quais seriam aplicadas metodologias ativas que envolvessem pontos comuns das duas disciplinas. Dessa forma, buscamos unir os conhecimentos específicos e propor uma experiência complementar aos acadêmicos do quinto semestre (2019/1), do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Unigran Capital. Para isso, buscamos utilizar uma metodologia que abrangesse a integração da teoria e a prática, tendo como foco a assimilação dos conteúdos através da pesquisa e o desenvolvimento de competências como autonomia, trabalho em equipe, cooperativismo, comunicação e senso crítico através de resolução de problemas. Assim, esse artigo aborda a experiência do ponto de vista pedagógico da interdisciplinaridade proposta nas disciplinas de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente e Planejamento de Desenho Urbano, cujo interesse surgiu a partir da motivação dos professores das disciplinas, que trabalham o assunto sob dois pontos de vista distintos. Portanto, o propósito foi incorporar a leitura, percepção, compreensão da constituição dos ambientes, edificações, paisagens e seus elementos, bem como introduzir a discussão de processos e os agentes do espaço urbano. (ii) Objetivos: O presente artigo tem como objetivo relatar as experiências vividas nas disciplinas Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente e Planejamento e Desenho Urbano, ambas ministradas no quinto semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unigran Capital no primeiro semestre de 2019. A estratégia adotada teve como finalidade a aproximação dos alunos à problemática urbana, bem como a leitura e a compreensão do entorno urbano das áreas selecionadas como objeto de intervenção. (iii) Metodologia: Para a elaboração deste relato de experiência, de caráter descritivo-analítico, recuperamos as etapas e procedimentos da disciplina, conforme apresentado a seguir. Estes foram examinados, buscando apontar problemas verificados no transcorrer das disciplinas, assim como buscamos identificar acertos e equívocos. O desenvolvimento das atividades focou especialmente na identificação de problemas e potencialidades de áreas urbanas. Para tanto, foi pensado na escala da cidade, tendo como ponto de referência a cidade de Campo Grande/MS e a escala de bairro, sendo elencados bairros específicos pré-estabelecidos pelos dois professores das disciplinas. A escolha dos bairros, teve como premissa a identificação dos primeiros conjuntos habitacionais de interesse social, implantados na década de 1960, passando pelos conjuntos habitacionais identificados como as Cooperativas Habitacionais, as conhecidas Coophas da década de 1970 e 1990; conjuntos implantados no período da década de 2000 e conjuntos implantados a partir do programa Minha Casa Minha Vida. A formação dos grupos de cinco integrantes se deu pela afinidade dos alunos, que se organizaram de forma autônoma nas duas disciplinas. (iv) Resultados: A matriz de análise passou pelas etapas de levantamentos através de mapeamento dos pontos de interesse, primeiro passo para uma leitura ampla dos problemas e potencialidades do bairro ou área específica dos conjuntos habitacionais. Esse mapeamento identificou o quanto uma região é abastecida por infraestrutura, equipamentos públicos, comércio e serviços. Após identificação dos principais pontos de interesse, o mapeamento de problemas e potencialidades permitiu a visualização das relações entre os usos existentes e a qualidade do espaço urbano dos conjuntos habitacionais. Esta relação, permitiu a identificação de novas possibilidades de projetos baseados no uso cotidiano que mereça uma adequação da infraestrutura implantada, ou mesmo na requalificação de áreas de conflito. O mapeamento dos problemas e potencialidades de uma ampla área, possibilitou ainda, que fossem elencadas as prioridades de investimento público com base na relevância do problema identificado e as demandas existentes. 2. Planejamento e Desenho Urbano: Na disciplina de Planejamento e Desenho Urbano foi realizada a análise da dinâmica urbana e da análise morfologia das imediações da área de estudo, compreendendo em três etapas: Etapa 1 - Análise da dinâmica urbana: visa compreender como a área estudada cidade é apropriada e utilizada por suas habitantes. De forma preliminar, buscamos conhecer como o espaço urbano da intervenção é avaliado pela comunidade local. Para atingir esse objetivo, as tarefas realizadas pelos alunos incluíram entrevistas com os moradores da comunidade. Cada grupo realizou cerca de 20 entrevistas, buscando conhecer os motivos para frequentarem a área, vantagens e desvantagens percebidas, perfil do usuário (faixa etária, escolaridade, renda). Foram realizados também, observações e levantamentos da intensidade e direção de fluxos de pedestres de modo a identificar polos geradores de fluxos; análise do fluxo de veículos, conforme a metodologia de Gehl; Svarre (2015). A análise desses estudos foram mapeados em plantas, resultando em desenhos e registros fotográficos. Na etapa 2, foram realizadas análise morfológicas da área estudada com o intuito de aproximar o aluno dos aspectos relacionados à paisagem urbana (topografia, densidade de área construída, intensidade de arborização, infraestrutura e rede de iluminação). Na etapa 3, as propostas foram desenvolvidas pontualmente, em áreas identificadas como problemáticas e com potencialidades (ruas, parques, praças, canteiros centrais). A partir daí, a abordagem teórica foi sendo desenvolvida em paralelo ao levantamento de campo. As informações obtidas através da pesquisa documental e as informações levantadas através de observações e registro fotográfico, foram sendo debatidos caso a caso nas duas disciplinas. Após a conclusão das disciplinas ministradas, os resultados obtidos demonstraram que os trabalhos finalizados apresentaram bom nível de solução quanto à funcionalidade e aspectos formais. Os produtos obtidos compreenderam trabalhos diversificados desenvolvidos ao longo do semestre. No primeiro bimestre: trabalho escrito das disciplinas de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente, Planejamento e Desenho Urbano; Apresentação oral (seminário) desenvolvido de forma interativa das disciplinas de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente, Planejamento e Desenho Urbano. No segundo bimestre: desenvolvimento de pranchas tamanho A3 da Disciplina de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente; Artigo científico da disciplina de Planejamento e Desenho Urbano. Apresentação oral, utilizando-se das pranchas e de maquetes nas disciplinas de Infraestrutura Urbana e Meio Ambiente, Planejamento e Desenho Urbano. (v) Discussão: Nesse processo houve forte personalização da aprendizagem, a partir do atendimento individualizado e em grupos. Entretanto, na perspectiva integradora das disciplinas, percebemos que em alguns momentos, houve certa insegurança de alguns acadêmicos quanto ao processo (confusão quanto aos conteúdos das duas disciplinas). Contudo, esses problemas foram minimizados ao longo do processo de desenvolvimento das atividades. Podemos dizer também, que a variedade de estratégias utilizadas foi um recurso importante. Nesse sentido, pontos de convergências entre duas disciplinas que abordam o estudo do espaço urbano foram aproveitados de maneira positiva, com isso, constatamos bons resultados na apresentação de desenhos técnicos, mapas, croquis, análises e produção textual e a apresentação oral dos trabalhos desenvolvidos. O método adotado como levantamento de campo, nas duas disciplinas, permitiu a identificação dos problemas e potencialidades dos locais estudados relacionando com o desenho urbano de cada bairro. Através de uma visão macro, gradativamente foram identificando áreas de conflitos e interesses passíveis de intervenção. Nesse processo, dois aspectos se destacaram: o técnico e o social. Os pontos identificados como problemas, envolveram em sua grande maioria áreas passíveis de alagamento, bem como áreas de conflitos de automóveis e pedestres. Foi verificado também que as áreas de alagamentos estavam associadas a um grande potencial paisagístico, sendo estes locais selecionados para a realização de projetos de infraestrutura e de intervenção do desenho urbano. (vi) Conclusões: As ações realizadas possibilitaram partilhar ideias, interesses, práticas. A escrita das experiências vividas ao longo semestre 2019.1 no curso de Arquitetura e Urbanismo da Unigran Capital, consistiu em trabalho de reflexão na ação e na sistematização do conhecimento. O registro também permite ampliar as possibilidades educativas, incentivando outros docentes às temáticas relacionadas à interdicisplinaridade e implementação de metodologias mais ativas. (vii) Referências: BATISTELLO, Paula; BALZAN, Katiane Laura; PEREIRA, Alice T. Cybis. Integração no ensino de arquitetura e urbanismo: experiências com ateliês verticais. Revista Projetar-Projeto e Percepção do Ambiente, v. 1, n. 3, p. 47-59, 2016. CARDOSO, Juliana da Silva; WALVY, Ophelio Walkyrio de Castro; GOLDBACH, Tânia. Obstáculos encontrados por professores para o desenvolvimento de trabalhos interdisciplinares em uma escola técnica da rede estadual de ensino médio no município de São Gonçalo/RJ. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS–ENPEC, v. 7, 2011. DA SILVA, Ana Lucia Gomes; FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Formando formadores para a interdisciplinaridade: sutilezas do olhar. Revista Diálogos Interdisciplinares-GEPFIP, v. 1, n. 1, p. 9-20, 2014. GEHL, Jan; SVARRE, Birgitte. A vida nas cidades: como estudar. 1. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2018. THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, set./dez., 2008.
Título do Evento
CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital
Cidade do Evento
Campo Grande
Título dos Anais do Evento
Anais do CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

RAMOS, Renata Benedetti Mello Nagy; FERREIRA, Eymard Cezar Araujo. RELATO DE EXPERIÊNCIA: INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO APRENDIZAGEM DE ARQUITETURA E URBANISMO.. In: Anais do CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital. Anais...Campo Grande(MS) UNIGRAN Capital, 2020. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/conigran2020/270088-RELATO-DE-EXPERIENCIA--INTERDISCIPLINARIDADE-NO-ENSINO-APRENDIZAGEM-DE-ARQUITETURA-E-URBANISMO. Acesso em: 20/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes