CONTRIBUIÇÕES DO MARKETING INTERNO PARA PRÁTICAS DO PSICÓLOGO NAS ORGANIZAÇÕES

Publicado em 30/12/2020 - ISBN: 978-65-5941-071-2

Título do Trabalho
CONTRIBUIÇÕES DO MARKETING INTERNO PARA PRÁTICAS DO PSICÓLOGO NAS ORGANIZAÇÕES
Autores
  • Luiza Hungaro Monteiro
  • Fernando Faleiros
Modalidade
Comunicação oral (Resumo expandido)
Área temática
Psicologia
Data de Publicação
30/12/2020
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/conigran2020/269063-contribuicoes-do-marketing-interno-para-praticas-do-psicologo-nas-organizacoes
ISBN
978-65-5941-071-2
Palavras-Chave
Endomarketing, Marketing Interno, Psicologia, Psicologia Organizacional.
Resumo
Introdução: No universo das organizações, observou-se um crescente emprego de conhecimentos e técnicas de origem acadêmica, no qual profissionais passaram a buscar o autoaperfeiçoamento em gestão, e por consequência o aperfeiçoamento de suas atuações. Ao estudar o funcionamento empresarial, identifica-se a necessidade de investir no desenvolvimento dos colaboradores, que são as “peças” fundamentais que fazem funcionar as “engrenagens” da empresa, utilizando recursos de comunicação eficientes. Segundo Brum (2010), o senhor Henry Ford dizia que “sempre que precisava de duas mãos para trabalhar em sua empresa, um ser humano vinha junto”. Estudar as pessoas, as subjetividades e como fortalecer as relações internas na empresa é fundamental para se atingir uma gestão moderna e humanizada, ou seja, não basta aperfeiçoar as "mãos" do trabalhador ao trabalho, e sim cuidar e valorizar quem vem junto destas mãos para realizar o trabalho (BRUM, 2010). Algumas habilidades do psicólogo nas organizações dizem respeito a compreender e aplicar técnicas que melhorem o clima organizacional e a motivação dos colaboradores na organização, buscando aprimorar ferramentas que potencializem e tragam, de maneira inovadora e dinâmica, meios para se atuar no clima organizacional (ZANELLI, 2014). A iniciativa para a realização desse trabalho parte da curiosidade de se agregar elementos técnicos ao trabalho do psicólogo organizacional, de forma que ele possa utilizar ferramentas e métodos de outras áreas para enriquecer seu trabalho. Objetivo: O trabalho objetivou identificar de que forma o Marketing Interno pode contribuir para as práticas do psicólogo nas organizações, analisando o Marketing Interno (ou Endomarketing) e a Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT). Metodologia: O presente trabalho tem como perfil a pesquisa bibliográfica explicativa no intuito de estudar as conexões entre o Marketing Interno e o trabalho do psicólogo organizacional. Como fontes bibliográficas de pesquisa primária, foram utilizadas as seguintes bases de pesquisa: Scielo, Bvs, revista Ecom, Dedalus, no intuito de encontrar artigos científicos de 2010 até 2020, que indicassem autores que abordassem os seguintes descritores: marketing interno e psicologia organizacional, na língua portuguesa. Para o segundo recorte na pesquisa usou-se as palavras-chave com algumas variações, ainda utilizando a triagem por títulos. A palavra marketing interno foi substituída por endomarketing, e o termo psicologia organizacional foi alterado para trabalho do psicólogo organizacional. Já no terceiro recorte, os descritores por título não apresentaram quantidades razoáveis de conteúdo. A busca também passou a ser por artigos com as palavras-chave anteriormente citadas, de forma isolada e resumos que trouxeram informações sobre os descritores, a fim de comparar conteúdos entre os principais descritores. Resultados: Observou-se que não foram encontrados artigos que trabalhassem conjuntamente os dois descritores: marketing interno e psicologia organizacional. Essa ausência de artigos com os descritores agrupados indica um claro espaço de estudo para o aprofundamento do assunto. Discussão: A ciência que estuda a subjetividade humana é a psicologia, compreende-se que seu trabalho abrange uma grande área de atuação, ou seja, o psicólogo desempenha o seu papel em todo e qualquer lugar que o ser humano esteja presente, inclusive dentro das organizações, com a Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT). Dentre estudos sobre a evolução histórica da POT, Dalbosco, Rosa e Pisoni (2016), relatam que Münsterberg, em 1913, em seu trabalho Psychology and Industrial Efficiency, apresentou um marco muito importante, que foi o estudo da Psicologia Industrial, mostrando os motivos que afetavam a eficiência do trabalho e as técnicas de venda, a publicidade e o marketing, fazendo o casamento perfeito do trabalhador ideal para o cargo solicitante. Esse foi o início dos testes psicológicos para ajustes de pessoas aos cargos, ou seja, o surgimento da POT se deu a uma necessidade mercadológica, onde na época era necessário moldar o trabalhador ao trabalho. No contexto de aperfeiçoamento organizacional, encontramos o Endomarketing, ou Marketing Interno, sendo uma ferramenta estratégica de trabalho em conjunto com o RH, que auxilia na união entre os trabalhadores com os objetivos da empresa. O endomarketing é uma das ferramentas da administração e atua na estratégia de gestão de pessoal para promover e estruturar relacionamentos internos de forma saudável, através de comunicação, alinhando interesses pessoais com os interesses organizacionais e auxiliando no clima organizacional com maior valorização e comprometimento (JOSÉ; ROSA, 2014). Ainda que o endomarketing reflita ações de marketing voltadas para o cliente interno, mesmo assim apresenta um olhar focado no cliente final e nos benefícios que serão trazidos para a organização. Instituição quer ver seu colaborador satisfeito com o trabalho, mas que essa satisfação gere impacto positivo para a organização. Já a psicologia organizacional atribui o seu foco no funcionário, que ele encontre satisfação e bem-estar no trabalho, e mesmo que o foco não seja exclusivamente na organização, gera impacto nela. A organização é feita de colaboradores sendo uma via de mão dupla: com o colaborador satisfeito a empresa consegue realizar um fluxo positivo. A comunicação permite o conhecimento, a acessibilidade de conteúdos da instituição. Com a comunicação eficiente e moldada para os respectivos colaboradores evita-se desvio de informação, má interpretação, e “eco” de informação (OLIVEIRA, 2005; OCHOA, 2014). Assim, a comunicação, pode vir a auxiliar diretamente no sentido de valorização e confiança do funcionário com o líder e a equipe. Nota-se uma aproximação sobre os desafios encontrados pela POT quanto a dificuldade da comunicação que prejudica a dinâmica organizacional. A discussão sobre a satisfação no trabalho e desafios encontrados por psicólogos que atuam em organizações privadas aponta para o atendimento das demandas organizacionais, problemas nas equipes de trabalho, comunicação, processos de agregar trabalhadores, resistência para realizar o trabalho, falta de autonomia e excesso de atividades de trabalho, dentre os quais alguns se assemelham a demandas do Endomarketing (BRUM, 2010; HERNANDES; SOUSA, 2015). Sendo assim, apresentadas as dificuldades com a comunicação entre ambas as abordagens, o endomarketing e a psicologia organizacional, afetam diretamente a satisfação do colaborador e o processo de confiança do mesmo com a empresa, compreendendo que a psicologia organizacional pode se beneficiar dos veículos de comunicação do endomarketing para promover motivação, valorização e bem-estar de forma mais eficiente, adequando a linguagem e o modelo para os respectivos funcionários, e que as informações cheguem de forma adequada para o colaborador. Considerações Finais: Dentre os elementos analisados, identificou-se a comunicação como sendo o fator de maior relevância e de união entre as teorias, merecendo especial atenção dos profissionais de psicologia no ambiente do trabalho. REFERÊNCIAS BRUM, A. M. Endomarketing de A a Z: como alinhar o pensamento das pessoas à estratégia da empresa. 3. Ed. São Paulo: Integrare, p 13-26, 2010. DALBOSCO, T.; ROSA, A. M.; PISONI, K. Z. B. Evolução histórica da psicologia organizacional e do trabalho. Impacto Científico e Social na Pesquisa: IX Mostra de IC e Extensão e VIII Mostra de Pesquisa da IMED, Passo Fundo, v. 1, n. 9, p.52-58, set. 2016. HERNANDES, M. L. A.; SOUSA, A. A. Satisfação no trabalho e desafios encontrados por psicólogos organizacionais que atuam em organizações privadas. Gerais, Rev. Interinst. Psicol., Juiz de fora, v. 8, n. 2, p. 359-372, dez. 2015. JOSÉ, B. L. C. S.; ROSA, A. T. R. O. O endomarketing como ferramenta estratégica de gestão. Revista de Ciências Gerenciais, São Paulo, v. 16, n. 24, p.145-159, maio 2014. OCHOA, C. G. As diferenças entre comunicação interna e endomarketing. Ecom: Educação, Cultura e Comunicação, São Paulo, v. 5, n. 9, p.107-118, mar. 2014. OLIVEIRA, P. R. A comunicação interna como ferramenta do endomarketing: um estudo de caso na Policlínica São Lucas. São José, 2005. ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. (Orgs.) Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.
Título do Evento
CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital
Cidade do Evento
Campo Grande
Título dos Anais do Evento
Anais do CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

MONTEIRO, Luiza Hungaro; FALEIROS, Fernando. CONTRIBUIÇÕES DO MARKETING INTERNO PARA PRÁTICAS DO PSICÓLOGO NAS ORGANIZAÇÕES.. In: Anais do CONIGRAN 2020 - Congresso Integrado UNIGRAN Capital. Anais...Campo Grande(MS) UNIGRAN Capital, 2020. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/conigran2020/269063-CONTRIBUICOES-DO-MARKETING-INTERNO-PARA-PRATICAS-DO-PSICOLOGO-NAS-ORGANIZACOES. Acesso em: 24/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes