PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA NO CONTEXTO INTRA-HOSPITALAR E O ESCORE DE ALERTA PRECOCE: QUAL SUA RELAÇÃO?

Publicado em 22/08/2023 - ISBN: 978-85-5722-915-0

Título do Trabalho
PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA NO CONTEXTO INTRA-HOSPITALAR E O ESCORE DE ALERTA PRECOCE: QUAL SUA RELAÇÃO?
Autores
  • Ramon Rodrigues Sarmento
  • Christefany Régia Braz Costa
  • kayan kelvyn da silva xavier
Modalidade
Resumo Simples
Área temática
Assistência em urgência e emergência e UTI
Data de Publicação
22/08/2023
País da Publicação
Brasil
Idioma da Publicação
Português
Página do Trabalho
https://www.even3.com.br/anais/comuepe23/609284-parada-cardiorrespiratoria-no-contexto-intra-hospitalar-e-o-escore-de-alerta-precoce--qual-sua-relacao
ISBN
978-85-5722-915-0
Palavras-Chave
Parada cardíaca, Escore de alerta precoce , Quartos de paciente
Resumo
Introdução: A parada cardiorrespiratória (PCR) consiste em um dos eventos mais letais, que necessita de uma rápida identificação e intervenção para minimizar os possíveis danos à vítima. A PCR pode ocorrer em diversos cenários. No contexto intra-hospitalar, apesar de dispor de mais estrutura, profissionais capacitados e recursos para intervir, o atraso em detectar o evento no paciente reduzem drasticamente as suas taxas de sobrevivência. Desse modo, com a finalidade de estratificar o paciente com relação aos riscos de PCR, foram elaboradas e padronizadas escalas que avaliam a sua deterioração clínica, chamadas de escore de alerta precoce, do inglês EWS (early warning score), que ao longo do tempo sofreram diversas adaptações para cada contexto. Em pacientes adultos, faz-se o uso das escalas MEWS (escore de alerta precoce modificado) e NEWS (escore de alerta precoce nacional), que usa como parâmetros os sinais vitais dos pacientes. Considerando que os desvios da normalidade acontecem horas antes da PCR é interessante compreender a aplicabilidade das escalas. Objetivo: Identificar na literatura evidências da aplicação de escore de alerta precoce no contexto da prevenção da PCR no ambiente intra-hospitalar. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa, com pesquisa realizada durante o período de dezembro de 2022 à janeiro de 2023, investigada na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e na PubMed com o uso dos seguintes Descritores em ciências da saúde (Decs): Parada cardíaca, Escore de alerta precoce e Quartos de paciente, e do Medical Subject Heading (MESH): Heart Arrest, Early Warning Score, Patistes’ Romms, empregando o boleando “AND”; a fim de responder à seguinte pergunta norteadora: “Quais evidências na literatura acerca da aplicação de Escore de Alerta Precoce na prevenção da parada cardiorrespiratória no contexto intra-hospitalar?” Foram incluídos artigos disponíveis na íntegra, nas línguas portuguesa, inglesa e espanhola, publicados nos últimos 5 anos. Foram excluídas revisões da literatura, relatos de casos, artigos que não abordavam o contexto da PCR e que não aplicaram as escalas em enfermarias. Resultados: Dos 130 resultados encontrados, após a aplicação dos critérios, foram selecionados 11 artigos que atendiam a proposta do estudo. Os artigos demonstraram certa eficácia na aplicação da escala de NEWS, constatando que mais da metade dos pacientes que sofreram o PCR apresentaram antecipadamente deterioração dos sinais vitais, ressaltando a importância da aplicação de escala. Além disso, o risco da PCR era diretamente proporcional ao escore obtido, sendo nas seis últimas horas antes do evento os scores estavam mais altos. Ademais, é considerado uma ferramenta de fácil aplicação e interpretação. Entretanto, foram apresentadas fragilidades nos elos da escala, dentre eles a possibilidade de erro no cálculo, pelo uso de papel ao invés de sistema eletrônico, que demonstra mais eficácia. Em idades extremas ela apresenta uma baixa aplicabilidade (idosos e crianças), e por fim, a falta de parâmetros laboratoriais que permitam uma maior precisão na classificação dos pacientes, evitando uma alta recorrência de falsos alarmes. Um estudo apontou que 79% dos pacientes que apresentam PCR manifestaram uma alteração importante dos sinais vitais. Também há evidências que esses sinais podem alterar de 24 a 48 horas antes da PCR. Conclusão: Na maioria dos casos de PCR a deterioração dos sinais vitais está presente o que coloca a escala de News como uma ferramenta útil e prática na prevenção da PCR, detectando os sinais de declínio clínico em tempo hábil. É imprescindível maiores estudos sobre qual seria o ponto de corte para acionamento dos times de resposta rápida e como utilizar melhor os dados coletados no julgamento clínico para realizar as devidas intervenções. Além de mais estudos observacionais para aplicar e aprimorar a escala, desde o cálculo até a conduta, resultando em bons prognósticos.
Título do Evento
IV CONGRESSO MULTIPROFISSIONAL EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DE PERNAMBUCO
Cidade do Evento
Cabo de Santo Agostinho
Título dos Anais do Evento
Anais do Congresso Multiprofissional em Urgência e Emergência de Pernambuco
Nome da Editora
Even3
Meio de Divulgação
Meio Digital
DOI
LinkObter o DOI

Como citar

SARMENTO, Ramon Rodrigues; COSTA, Christefany Régia Braz; XAVIER, kayan kelvyn da silva. PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA NO CONTEXTO INTRA-HOSPITALAR E O ESCORE DE ALERTA PRECOCE: QUAL SUA RELAÇÃO?.. In: Anais do Congresso Multiprofissional em Urgência e Emergência de Pernambuco. Anais...Cabo de Santo Agostinho(PE) Hotel Canariu's de Gaibu, 2023. Disponível em: https//www.even3.com.br/anais/COMUEPE23/609284-PARADA-CARDIORRESPIRATORIA-NO-CONTEXTO-INTRA-HOSPITALAR-E-O-ESCORE-DE-ALERTA-PRECOCE--QUAL-SUA-RELACAO. Acesso em: 20/06/2024

Trabalho

Even3 Publicacoes