7º Seminário do.co.mo.mo sp

7º Seminário do.co.mo.mo sp

online Este é um evento online

O evento já encerrou

Separamos alguns eventos que você irá gostar

20º Congresso Brasileiro de Bioinformática: X-Meeting 2024

Terça-Feira, 11 de Junho

Salvador, BA

Evento online

IV Encontro Técnico e Científico para Construção de Cidades Verdes

Quarta-Feira, 29 de Maio

Evento online

III Fórum Online de Educação, Meio Ambiente e Sustentabilidade

Quarta-Feira, 8 de Maio

1º Congresso Multidisciplinar de Saúde e Bem-Estar

Quarta-Feira, 28 de Agosto

São Luís, MA

{{'Receba_os_melhores_eventos_da_sua_area' | translate}}

{{'Receber_eventos' | translate}}

Sobre o 7º Seminário do.co.mo.mo SP

Este evento dará continuidade às atividades de seminários desenvolvidas pelo Núcleo Docomomo São Paulo, retomadas em 2017, quando foi realizado, na capital, o 5º Seminário Docomomo São Paulo, organizado em colaboração com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (FAU-UPM). Aquele seminário foi seguido, em 2018, pelo 6º Seminário Docomomo São Paulo, promovido conjuntamente com o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU-USP), no Campus da Universidade de São Paulo, em São Carlos. Com realização prevista em 2020, o novo seminário, se insere de forma natural no calendário nacional dos seminários do DOCOMOMO, que prevê a realização do evento nacional em ano ímpar e dos regionais em anos pares. Considerando, contudo, a situação de pandemia e distanciamento social que nos afeta, os organizadores optaram, desta vez, pelo formato “à distância”, assim, o evento acontecerá no âmbito da Internet. Será, portanto, o primeiro Seminário Docomomo online, no Brasil.

Ainda assim, como nos outros eventos do DOCOMOMO, o  7º Seminário Docomomo São Paulo prevê a realização de palestras, mesas de debates e de apresentação de comunicações sobre assuntos de relevância para a salvaguarda do patrimônio cultural do movimento moderno no Brasil. À diferença dos anteriores, na sua versão digital não poderá acontecer o famoso MomoTour, que desta vez será substituído por oficinas culturais direcionadas aos participantes, especialmente aos alunos dos cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo. Esperamos a participação de especialistas, brasileiros e internacionais, que se sucederão em diferentes horários e em diferentes atividades, durante uma semana de trabalho dedicado à salvaguarda do importante patrimônio moderno paulista e brasileiro.

As palestras, mesas de debates, apresentação de comunicações, e oficinas culturais serão transmitidas ao vivo, em diferentes formatos digitais, entre os dias 09 e 14 de novembro de 2020.

Informações gerais, chamadas de trabalhos, datas e programação estão disponíveis nas páginas do Núcleo Docomomo São Paulo na internet e nas redes sociais:

Sítiohttps://www.nucleodocomomosp.com.br/

Instagram: https://instagram.com/docomomo.sp 

Facebook: http://www.facebook.com/nucleo.docomomo.sp/ 

Eixos

Os eixos de debate se concentram sobre alguns dos tópicos centrais da modernidade, embora admitam variadas abordagens. Assim, o evento está organizado em três Eixos Temáticos dispostos para acolher depoimentos, estudos de acervos, pesquisas documentais, estudos de caso, críticas etc. sobre obras e projetos referentes à arquitetura, ao urbanismo e ao paisagismo modernos, fundamentalmente no âmbito do estado de São Paulo, mas não só,  desenvolvidos entre 1930 e 1980.

Eixo 1:

Identificação (documentação, inventário, reconhecimento etc.) das obras construídas ou não do movimento moderno, a partir de trabalhos de listagem, inventário ou simples recopilação de dados de acervos, coleções ou ainda levantamentos de campo e pesquisas in loco de caráter inédito ou ainda em andamento com a apresentação dos resultados mais atuais.

Eixo 2:

Ações (intervenção, restauro, conservação etc.) sobre patrimônio da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo modernos, com a finalidade de divulgar os trabalhos de equipes ou profissionais que se debruçam no esforço de possibilitar às futuras gerações o acesso às obras, construídas ou não do movimento moderno.

Eixo 3:

Ensaios (históricos, artísticos, culturais, etc.) provenientes tanto da academia como das ações de profissionais interessados no movimento moderno (arquitetos, técnicos municipais, historiadores e críticos), assim como de membros da sociedade civil sensibilizados com as qualidades inegáveis de um patrimônio único e hoje bastante ameaçado.

 

 

Cronograma

29/06/2020: Chamada para o 7º Seminário Docomomo São Paulo: Publicação do edital de chamada no sítio e nas redes sociais do Núcleo Docomomo São Paulo, envio por email das normas e do cronograma do evento para todos os membros do DOCOMOMO Brasil e início da divulgação geral pelas instituições que apoiam o evento;

27/09/2020: última data para recebimento das comunicações para participação nas mesas de comunicação;

09/10/2020: última data para o registro das chapas para compor a nova coordenação (envio de lista de nomes que compõem a chapa e proposta de condução do Núcleo Docomomo São Paulo para o biênio 2021-2022. O material será enviado a todos os associados ao Núcleo antes da Assembleia Geral de 09/11/2020);

18/10/2020: divulgação de trabalhos aprovados;

23/10/2020: Data limite para reenvio das comunicações pelo email do Núcleo Docomomo São Paulo: nucleo.docomomo.sp@gmail.com

09/11/2020: última data de INSCRIÇÃO de: “ouvinte” (palestras e mesas de debate);

09/11/2020: última data de INSCRIÇÃO de: “participante” (comunicações e oficinas);

09 a 14/11/2020: semana de trabalho do 7º Seminário Docomomo São Paulo.

Inscrições

{{'Label_CodigoPromocionalAplicadoComSucesso' | translate}}
{{'Label_Presencial' | translate}} {{'Label_Online' | translate}} {{'Label_PresencialEOnline' | translate}}

{{item.titulo}}

{{'Label_DoacaoAPartir' | translate}} {{item.valores[0].valor | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{item.descricao}}
{{'Titulo_Gratis' |translate}} {{viewModel.configuracaoInscricaoEvento.descricaoEntradaGratis}}
{{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}} {{entrada.valor | currency:viewModel.evento.moeda}}  

{{entrada.valorComDesconto | currency:viewModel.evento.moeda}}

{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Titulo_Ate' | translate}} {{entrada.validoAte |date: viewModel.evento.cultura.formatoData}}
{{'Label_APartirDe' | translate}} {{entrada.validoDe | date:viewModel.evento.cultura.formatoData}}
Calendar

{{'Titulo_NaoDisponivel' | translate}}

Atividades

{{item.titulo}}
{{item.horaInicio}}-{{item.horaFim}}
Calendar

Submissões

{{areaSiteEvento.jsonObj.configuracaoSubmissao.dataInicioSubmissao}} - {{areaSiteEvento.jsonObj.configuracaoSubmissao.dataLimiteSubmissao}}

{{item.denominacao}}
{{item.denominacao}}
{{item.denominacao}}

{{areaSiteEvento.titulo}}

FAQ: submissões

 Como deve ser nomeado o artigo em WORD e em PDF?

comunicação poderá ser nomeada com o nome dela, por exemplo: Análise da arquitetura moderna em São Carlos.doc ou .pdf 

 Deve-se colocar identificação nas comunicações em WORD e em PDF?

O arquivo "pdf" será enviado aos pareceristas e por isso não deve ter nenhuma identificação que revele a identidade do(a) autor(a), a identificação dos autores da comunicação só será colocada no arquivo “doc”, 


Não há a identificação do autor no modelo de template disponível. Onde colocá-la?

A identificação dos autores deverá ser colocada após o título da comunicação no arquivo “doc”, incluindo dados como: nome completo, titulação, instituição, e-mail, como indicado nas informações no sítio.

 

O resumo, abstract, palavras-chave estão inclusos na contagem máxima de 3500 palavras?

Os três itens não contabilizam na quantidade de palavras para a comunicação.


Deve-se apresentar o resumo, o abstract e o resumen nas comunicações?

É obrigatório apresentar os resumos nas três línguas descritas, seguindo o modelo do template.

 

Qual é o tema central do 7º Seminário DO.CO.MO.MO?

O tema do seminário é a difusão do movimento moderno, o que permite abordar diferentes aspectos desse movimento, não só os arquitetônicos, e, ainda que o recorte possa estar centrado em São Paulo (estado), isso não exclui outras abordagens mais abrangentes, ou de um campo ampliado, que deem conta do significado dessa difusão para a arquitetura, o urbanismo e o paisagismo modernos no Brasil, ou ainda no campo internacional se o impacto pode ser verificado no país.

 

Quantas imagens deve-se utilizar nas comunicações?

Só podem ser incluídas 5 imagens, que serão designadas como FIGURAS. Outras imagens poderão, caso a comunicação seja aceita, serem apresentadas na mesa de debates, na apresentação oral, que será gravada e disponibilizada oportunamente pelos canais digitais.

Trabalhos aceitos

TÍTULO

AUTORES(AS)

1

O projeto da Galeria Coliseu e do Clube Semanal de Cultura Artística (1956 – 1968)

VIDOTTO, Taiana Car; MONTEIRO, Ana Maria Reis de Góes

2

Modernidade e memória: Lina Bo Bardi e a arquitetura tumular

HEINE, Bruna

3

O Patrimônio Art Déco: Intervenções na Escola Marques de Souza (1940)

CABRAL, Lisiê K.; CORDEIRO, José Henrique C.; OLIVEIRA, Ana Lúcia C.

5

Um diálogo nacional: Lucio Costa e a “Casa de Amorim 1960-1966”

ADRIÃO, Liliana de Souza

6

Banco de dados Centro Histórico de São Paulo: desdobramentos modernos

SANTOS, Cecilia Rodrigues dos

8

A difusão da arquitetura moderna em Curitiba: análise formal de dois projetos da década de 1970

JANUÁRIO, Isabella Caroline; REGO, Renato Leão; SILVA, Milena Vicentim da; REISDÖRFER, Vitor Amorim

9

Edifício Wilton Paes de Almeida, São Paulo: Preservação e ausência do patrimônio urbano e arquitetônico

BELONDI, Carolina B. G.; HIRAO, Hélio

10

De la estrategia al proyecto. Tres residencias de Decio Tozzi en São Paulo, Brasil 1965-1974

ZAMBRANO, Pablo Maita; GALÁN, Jaime Guerra

11

Participação do Brasil na Exposição Internacional de 1937-Paris

ZAKIA, Silvia Amaral Palazzi

12

A arquitetura de Fábio Penteado e suas possíveis referências

MARTINS, Letícia Bortolo; TAGLIARI, Ana

13

Setor Residencial de Estudantes da USP. A sociabilidade e o balanço entre diversas escalas na obra de Rino Levi

ROSSI, Bruno Ceccato; MONTEIRO, Ana Maria Reis de Góes

14

Realizações do Banco Hipotecário Lar Brasileiro no Estado de São Paulo

BEDOLINI, Alessandra Castelo Branco

15

O redesenho como documentação: o Banestado em Maringá

GUILHERME, Heloisa Lança; VERRI, Tânia Nunes Galvão; ARAUJO, Vinícius Alves de

16

Ressignificação da ruína e da arquitetura moderna: A capela de Santana do Pé do Morro

OLIVEIRA, Ronaldo Amaro de; SOUZA, Estela Maris de

17

Casa Leite Barbosa: o Saber-Fazer e o Espaço Moderno na obra de José Zanine Caldas

RIMI, Paula Mendes Thomaz; PERRONE, Rafael Antônio Cunha

18

Artacho Jurado em Marília/SP, 1938.

RAMOS, Alfredo Zaia Nogueira; GHIRARDELLO, Nilson

19

Arquitetura moderna em Cachoeira do Sul: a modernidade como patrimônio nas décadas de 50 e 60

SOUTO, Ana Elisa; ZAMPIERI, Renata; CENCI, Laline

20

Arquitetura, arte e tecnologia - A casa do arquiteto e escultor Abrão Assad

SANQUETTA, Felipe Taroh Inoue; MUSIAL, Ísis Mendes

21

A arquitetura residencial de Luiz Gastão de Castro Lima: um registro da residência Jesus Silva em São Carlos-SP

MONTEIRO, Flávia Cavicchioli; ALMEIDA, Adriana Leal de; BERNARDI, Cristiane Kröhling Pinheiro Borges

22

URBANIDADE FRAGMENTADA: A produção arquitetônica dos clubes de lazer da cidade de Presidente Prudente – SP.

DIAS, Tiago Bonfim; BULZAN, João Marcos Lourenço; OLIVEIRA, Jean Guilherme; FERNANDES, Fabrícia Dias da Cunha de Moraes

23

A dimensão pública dos edifícios projetados no Plano de Ação

BERGANTIN, Rachel; SILVA, Jasmine Luiza Souza; BUZZAR, Miguel Antonio

24

Luiz Gastão de Castro Lima: os anfiteatros da USP São Carlos

SIMABUKURO, Julia; LIMA, Eduardo Galbes Breda de; BUZZAR, Miguel Antonio

27

Reiterações e proposições da arquitetura paulista: a loja de Móveis Todesco

STINCO, Claudia Virginia; PERRONE, Rafael Antonio Cunha

28

Máquina de habitar: máquina de viver

LINO, Sulamita Fonseca

29

Desafios para o reconhecimento e salvaguarda do Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo como patrimônio cultural universitário

FERNANDES, Gabriel de Andrade; BARBOSA, João Pedro; CARVALHO, Beatriz Barsoumian

30

Estado Moderno e produção do espaço pelo Plano de Ação do Estado de São Paulo (1959-1963) – A atuação da Secretaria da Agricultura

AGUIAR, Gabriel Deller de; ALVES, André Augusto de Almeida

31

As escolas de Abelardo Gomes de Abreu para o Plano de Ação (1959-1963)

LIMA, Caroline Niitsu; BUZZAR, Miguel Antonio

32

Os interiores domésticos e as revistas especializadas na difusão da arquitetura e do modo de morar moderno: duas casas e um conjunto habitacional

PINHEIRO, Laura de Freitas; FIORI, Daniela Sarone; SANCHES, Aline Coelho

33

Entre a tecnologia e a retórica emocional: transformação e propagação da arquitetura moderna paulista.

LIMA JUNIOR, Marcio Antonio de

34

ESCOLA ESTADUAL DE ARTIGAS EM GUARULHOS, SP: Reconhecimento do patrimônio, prática espacial e hipóteses de preservação.

CUBOTA, Bianca O.; HIRAO, Hélio

35

Sobre o Filme Lotte am Bauhaus: Considerações sobre a Trajetória das Mulheres na Arquitetura, da Bauhaus até o Brasil

SANTOS, Aline Nami dos; FUJIOKA, Paulo Yassuhide

36

O Art Déco na "Obra Getuliana" através da Revista do Serviço Público

REIS, Márcio Vinicius

37

Arquitetura Moderna de Hospitais em São Paulo: análise comparativa de projetos, do Hospital Albert Einstein ao Hospital São Camilo Pompeia.

MARVULLE, Ana Lidia Galhiardi; FUJIOKA,  Paulo Yassuhide

38

Arquitetura Moderna Paulista: Um estudo sobre o Fórum de Itapira (1959)

QUEIROZ, Evilane Renise Almeida de; OLIVEIRA, Raissa Pereira Cintra de

39

El sistema de la arquitectura moderna y la imagen de una ciudad: Arica 1950-1970

TORRENT, Horacio; FAÚNDEZ, María de la Paz

40

Arquitetura moderna na cidade de Ibitinga-SP

SEVERINO, Vinicius Galbieri; SUZUKI, Marcelo; FUJIOKA, Paulo Yassuhide

42

Arquitetura em São Paulo: reconhecimento, divulgação e descentralização em dois mapeamentos da Revista Projeto

BEZERRA, Taciana Souza

43

Residência Cunha Lima: Um estudo de caso moderno

PEREIRA, Ana Karla Olimpio; FUJIOKA, Paulo Yassuhide

44

Terminais rodoviários da Escola Paulista: o Terminal Rodoviário de São Carlos

NEDEL, Miranda Zamberlan; BUZZAR, Miguel Antonio

45

Restauração Casa da Criança

CAIRES-GREVE, Carla de Barros

47

Sobre as imagens de uma casa: a residência de Hans Broos no Morumbi

BUIM, Ana; VÁZQUEZ RAMOS, Fernando G.; KOURY, Ana Paula

48

Do tombamento ao “destombamento”: o caso do Salão de Festas do Esporte Clube Pinheiros, obra do arquiteto Gregori Warchavchik

TOURINHO, Andréa de Oliveira; VÁZQUEZ RAMOS, Fernando G.

49

Conjunto de 4 casas para Eusébio e Jaime Porchat de Queiroz Mattoso: resgate documental de uma obra de João Batista Vilanova Artigas

DUTRA, Maria Luiza; CARCAVALLI, Daniel Luiz Vieira; PINHEIRO, Diego Petrini

51

“O Canteiro”, 1985. Por Héctor Olea

BUIM, Ana; KOOURY, Ana Paula

 

Mesas e comunicações

TÍTULO

AUTORES(AS)

EIXO

MESA

DATA/HORA

10

De la estrategia al proyecto. Tres residencias de Decio Tozzi en São Paulo, Brasil 1965-1974

ZAMBRANO, Pablo Maita; GALÁN, Jaime Guerra

Identificação

1

10/11/2020

13h00

a

15h00

 

17

Casa Leite Barbosa: o Saber-Fazer e o Espaço Moderno na obra de José Zanine Caldas

RIMI, Paula Mendes Thomaz; PERRONE, Rafael Antônio Cunha

Identificação

20

Arquitetura, arte e tecnologia - A casa do arquiteto e escultor Abrão Assad

SANQUETTA, Felipe Taroh Inoue; MUSIAL, Ísis Mendes

Identificação

28

Máquina de habitar: máquina de viver

LINO, Sulamita Fonseca

Ensaios

1

O projeto da Galeria Coliseu e do Clube Semanal de Cultura Artística (1956-1968)

VIDOTTO, Taiana Car; MONTEIRO, Ana Maria Reis de Goes

Identificação

2

11/11/2020

17h30

a

19h30

 

18

Artacho Jurado em Marília-SP, 1938.

RAMOS, Alfredo Zaia Nogueira; GHIRARDELLO, Nilson

Identificação

21

A arquitetura residencial de Luiz Gastão de Castro Lima: um registro da residência Jesus Silva em São Carlos-SP

MONTEIRO, Flávia Cavicchioli; ALMEIDA, Adriana Leal de; BERNARDI, Cristiane Kröhling Pinheiro Borges

Identificação

40

Arquitetura moderna na cidade de Ibitinga-SP

SEVERINO, Vinicius Galbieri; SUZUKI, Marcelo; FUJIOKA, Paulo Yassuhide

Identificação

2

Modernidade e memória: Lina Bo Bardi e a arquitetura tumular

HEINE, Bruna

Identificação

3

12/11/2020

15h00

a

17h00

 

6

Banco de dados Centro Histórico de São Paulo: desdobramentos modernos

SANTOS, Cecilia Rodrigues dos

Identificação

35

Sobre o Filme Lotte am Bauhaus: Considerações sobre a Trajetória das Mulheres na Arquitetura, da Bauhaus até o Brasil

SANTOS, Aline Nami dos; FUJIOKA, Paulo Yassuhide

Ensaios

42

Arquitetura em São Paulo: reconhecimento, divulgação e descentralização em dois mapeamentos da Revista Projeto

BEZERRA, Taciana Souza

Identificação

47

Sobre as imagens de uma casa: a residência de Hans Broos no Morumbi

BUIM. Ana; VÁZQUEZ RAMOS,  Fernando G.; KOURY, Ana Paula

Ensaios

4

12/11/2020

17h30

a

19h30

 

32

Os interiores domésticos e as revistas especializadas na difusão da arquitetura e do modo de morar moderno: duas casas e um conjunto habitacional

PINHEIRO, Laura de Freitas; FIORI, Daniela Sarone; SANCHES, Aline Coelho

Ensaios

44

Terminais rodoviários da Escola Paulista: o Terminal Rodoviário de São Carlos

NEDEL, Miranda Zamberlan; BUZZAR, Miguel Antonio

Ensaios

49

Conjunto de 4 casas para Eusébio e Jaime Porchat de Queiroz Mattoso: resgate documental de uma obra de João Batista Vilanova Artigas

DUTRA, Maria Luiza; CARCAVALLI, Daniel Luiz Vieira; PINHEIRO, Diego Petrini

Ações

13

Setor Residencial de Estudantes da USP. A sociabilidade e o balanço entre diversas escalas na obra de Rino Levi

ROSSI, Bruno Ceccato; MONTEIRO, Ana Maria Reis de Góes

Identificação

5

13/11/2020

09h30

a

11h30

 

29

Desafios para o reconhecimento e salvaguarda do Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo como patrimônio cultural universitário

FERNANDES, Gabriel de Andrade; BARBOSA, João Pedro; CARVALHO, Beatriz Barsoumian

Identificação

31

As escolas de Abelardo Gomes de Abreu para o Plano de Ação (1959-1963)

LIMA, Caroline Niitsu de; BUZZAR, Miguel Antônio

Ensaios

39

El sistema de la arquitectura moderna y la imagen de una ciudad: Arica 1950-1970

TORRENT, Horacio; FAÚNDEZ, María de la Paz

Ensaios

45

Restauração Casa da Criança

CAIRES-GREVE, Carla de Barros

Ações

9

Edifício Wilton Paes de Almeida, São Paulo: Preservação e ausência do patrimônio urbano e arquitetônico

BELONDI, Carolina B. G.; HIRAO, Hélio

Identificação

6

13/11/2020

15h00

a

17h00

 

23

A dimensão pública dos edifícios projetados no Plano de Ação

BERGANTIN, Rachel; SILVA, Jasmine Luiza Souza; BUZZAR, Miguel Antônio

Identificação

27

Reiterações e proposições da arquitetura paulista: a loja de Móveis Todesco

STINCO, Claudia Virginia; PERRONE, Rafael Antônio Cunha

Ensaios

48

Do tombamento ao “destombamento”: o caso do Salão de Festas do Esporte Clube Pinheiros, obra do arquiteto Gregori Warchavchik

TOURINHO, Andréa de Oliveira; VÁZQUEZ RAMOS, Fernando G.

Ensaios

 

Apoios

O evento conta com o apoio das seguintes instituições:

    • DOCOMOMO Brasil;
    • Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento São Paulo (IAB-SP);
    • ArchDaily;
    • Portal Vitruvius (Arquitextos);
    • Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP, Bauru-SP e Presidente Prudente-SP); 
    • Curso de Arquitetura e Urbanismo de Universidade São Judas Tadeu (USJT, São Paulo-SP); 
    • Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Taubaté (UNITAU, Taubaté-SP); 
    • Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS, São Caetano do Sul-SP); 
    • Associação Escola da Cidade (AEC, São Paulo); 
    • Escola de Construção do Centro Universitário ENIAC; 
    • Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (FAU-UPM, São Paulo-SP); 
    • Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP, São Carlos-SP); 
    • Programa de Mestrado acadêmico em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista (UNESP, Bauru-SP);
    • Programa Associado de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá e Universidade Estadual de Londrina (UEM/UEL, Maringá-PR);
    • Grupo de Pesquisa “Arquitetura Moderna e Sociedade Brasileira” (UEM/UEL, Maringá-PR);
    • Grupo de Pesquisa: “ArtArqBr - Arte e Arquitetura, Brasil” (IAU-USP, São Carlos-SP); 
    • Grupo de Pesquisa: “Paisagem, Território e Cultura” (UNITAU, Taubaté-SP); 
    • Grupo de Pesquisa: “Projeto, Arquitetura e Cidade” (UNESP, Presidente Prudente-SP);

    Palestras e palestrantes

    09/11/2020 (segunda-feira)11h00-12h30

    Rodolfo Santa María González, se formou em arquitetura e é mestre e doutor em Arquitetura pela Facultad de Arquitectura da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM). É professor pesquisador de tempo integral na División de Ciencias y Artes para el Diseño da Universidad Autónoma Metropolitana (Xochimilco), na cidade do México. Publica artigos e livros sobre história da arquitetura moderna mexicana e proteção do patrimônio cultural, entre os que podemos destacar: Carlos Mijares. Tiempo y Otras Construcciones(Editorial Escala, Colombia, 1989) e Arquitectura del Siglo XX en el Centro Histórico de la Ciudad de México (Editora da UAM, 2005, reeditado em 2009). É membro fundador do DOCOMOMO México e do Observatorio de Arquitectura Latinoamericana Contemporánea e Membro da Academia Nacional de Arquitectura de México.

    O Prof. Rodolfo Santa Maria González ministra a palestra: 

    Segunda Modernidad Arquitectónica y Urbana en México: sueños, fantasías, realidades.

    Resumo: Após um começo convulsivo e contraditório do século, a segunda metade do século 20 parece ser uma época em que predominam certezas e onde dúvidas e contradições são ocultas ou disfarçadas. É o momento em que o grande crescimento da Cidade do México começa e é também o período de consolidação de uma estrutura política que emergiu da Revolução Mexicana (1910) e um período que a história econômica chamou de milagre mexicano. Para a arquitetura, é o momento da construção da Cidade Universitária e do programa de escolas, hospitais e conjuntos habitacionais, mas também do desenvolvimento e arranha-céus e instalações industriais. Um momento que podemos descrever como "heróico" na arquitetura mexicana.

     

    09/11/2020 (segunda-feira)17h30-19h00

    Laura Alemán nasceu em Montevidéu, se formou em arquitetura e em filosofia na Universidad de la República (UdelaR), Uruguai. É Magister em Ordenamiento Territorial y Desarrollo Urbano, e doutoranda de Arquitetura (Facultad de Arquitectura, Diseño y urbanismo, da UdelaR). Professora do Instituto de Historia de la Arquitectura. Autora de vários livros, entre os que podemos salientar: De los Campos, Puente, Tournier: obras y proyectos (coautoría, IHA-FADU, 2019), Hilos rotos. Ideas de ciudad en el Uruguay del siglo veinte (Hum, 2012; Prêmio MEC 2011) e Bajoclave. Notas sobre el espacio doméstico (Nobuko, 2006; Prêmio MEC 2008).

    A Profa. Laura Alemán ministra a palestra: 

    Moderato Cantabile: voces modernas en la arquitectura uruguaya

    Resumo: A atitude de “amortecedor” atribuída à sociedade uruguaia, postulada em 1973 pelo ensaísta e crítico Carlos Real de Azúa e afirmada ao ponto de exaustão, tem sido associada a certa ponderação inerente à cultura local. No campo da arquitetura, isso levou a uma abordagem historiográfica que míngua o discurso moderno enunciado no Uruguai, reafirmando seu tom moderado, alheio a qualquer pulso capaz de provocar uma reação brusca, radical. O exame cuidadoso dessa produção permite, no entanto, discutir e questionar essa leitura.

     

    10/11/2020 (terça-feira): 17h30-19h00

    Nivaldo Vieira de Andrade Júnior, se formou em arquitetura e é  mestre e doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Realizou pós-doutorado junto à École d'Urbanisme de Paris, Université de Paris-Est Créteil Val de Marne. É professor adjunto da Faculdade de Arquitetura da UFBA. Também é docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPG-AU) e do Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos (MP-CECRE), da mesma universidade. Presidente nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) (2018-2020). Presidente do Fórum de entidades em defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro. É membro do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural (IPHAN). Coordenador do PPGAU/UFBA. Foi membro do Conselho Deliberativo do Comitê Brasileiro do ICOMOS e do Conselho Diretor do DOCOMOMO Brasil. Entre 2006 e 2009, coordenou nacionalmente o Inventário da Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo Modernos (IPHAN). Entre suas publicações podemos destacar a coleção "Arquitetura moderna na Bahia (19147-1951)", em cinco volumes (UFBA, 2019).

    O Prof. Nivaldo de Andrade Júnior ministra a palestra:

    Geração 50: arquitetura moderna, política profissional e mercado na Bahia (1950-1980)

    Resumo: Nas duas principais capitais do Nordeste, o início dos anos 1950 testemunha a estruturação dos cursos de arquitetura das Escolas de Belas Artes (EBA) da Bahia e de Pernambuco, com as primeiras gerações de profissionais formados em um ambiente acadêmico dominado pela arquitetura moderna. A organização da categoria profissional nestas capitais resultará, no mesmo período, na fundação das seções do IAB em Pernambuco (1951) e na Bahia (1954). A palestra se concentrará na análise da produção dos arquitetos formados entre a primeira turma pós-estruturação do curso de arquitetura da EBA/UFBA, titulada em 1953, e a primeira turma de arquitetos formados pela recém-fundada Faculdade de Arquitetura, em 1959. Dentre os profissionais cujas obras serão analisados, estão Assis Reis, Gilberbet Chaves, Emmanuel Berbert, J. Álvaro Peixoto, Enrique Alvarez, Rodrigo Pontual, Paulo Ormindo de Azevedo, Arilda Cardoso e Amélio Amorim

     

    11/11/2020 (quarta-feira): 10h30-12h00

    Ana Esteban Maluenda, se formou em arquitetura e é doutora em arquitetura pela Escola Técnica Superior de Arquitectura da Universidad Politécnica de Madrid. É professora titular da mesma universidade e trabalha faz vinte anos “com” e “sobre” as revistas de arquitetura, considerada, assim, uma especialista na difusão e divulgação da arquitetura moderna latino-americana no âmbito europeu. Tema sobre o qual há desenvolvido numerosos trabalhos publicados e/ou apresentados em eventos internacionais. Há publicado vários livros, entre os que podemos destacar: La arquitectura moderna en Latinoamérica: antología de autores, obras y textos (Editorial Reverte, 2016) e Rutas ibero-americanas: contactos e intercambios en la arquitectura del siglo XX (coautora, Mairea, 2017).

    A Profa. Ana Esteban Maluenda ministra a palestra:

    La Mirada Distante: la construcción de la imagen de la arquitectura moderna brasileña y latinoamericana

    Resumo: J.J. Rousseau apontava que "o grande defeito dos europeus consiste em sempre filosofar sobre as origens das coisas de acordo com o que acontece ao seu redor". Assim, as primeiras histórias da arquitetura moderna a apresentaram como um movimento nascido na Europa, transferido para os Estados Unidos e, de ambos os nós, irradiado para o resto do mundo como uma adaptação da corrente original. Esta palestra tem como objetivo revisar as primeiras visões nas quais a arquitetura brasileira e latino-americana foi mostrada como um desenvolvimento satélite do genuíno movimento moderno. Por meio de catálogos de exposições, revistas de arquitetura e livros de história e as relações que podem ser estabelecidas entre eles, passaremos, assim, por várias décadas de erros e alguns sucessos, quase sempre cometidos por pessoas de fora, mas também por naturais, na tentativa de legitimar a produção latino-americana moderna como uma arquitetura de interesse mundial.

     

    12/11/2020 (quinta-feira): 10h30-12h00

    Judith Weinstock-Montag nasceu em São Paulo, se formou em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Emigrou para a Alemanha, formando-se, também, em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Dortmund. Foi Professora na Faculdade de Arquitetura de Coburgo. Escreve artigos para revistas especializadas na Alemanha e no Brasil e trabalha como arquiteta em Berlim. Como diretora da EEG, é membro do DOCOMOMO Alemanha (EEG é Associação de amigos do Arquiteto Egon Eiermann, formada por arquitetos que tratam do legado do relevante professor e arquiteto alemão). A arquiteta trabalhou no escritório de Hans Broos na década de 1980 e teve a oportunidade de publicar ineditamente na Alemanha, em 2007, na Revista Bauwelt (19.07), um artigo abrangente sobre a vasta obra do arquiteto Broos no Brasil.

    A Arqta. Judith Weinstock-Montag ministra a palestra:

    Hans Broos / Arquiteto entre 1949 e 1952 na Alemanha

    Resumo: Hans Broos cooperou destacadamente no escritório de Egon Eiermann entre 1949 e 1952 em dois projetos de decidida importância para a Arquitetura moderna alemã: na realização da “Taschentuchweberei” em Blumberg e no projeto do “Süddeutscher Rundfunk (SDR)” em Stuttgart. Além disso, construiu em 1952 o “Wohnhaus Abel” em Gernsbach, o primeiro projeto de sua autoria. Em seguida emigrou para o Brasil. O propósito da Palestra é informar sobre esses trabalhos e contextualizá-los na produção de arquitetura da época.

     

    13/11/2020 (sexta-feira): 18h00-19h30

    Renato Gama-Rosa, se formou em arquitetura e é mestre e doutor em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e realizou um doutorado sanduíche no Institut d'Urbanisme de Paris e um pós-doutorado pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. É professor do Curso de Pós-Graduação em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz). É tecnologista sênior e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz onde é membro do Núcleo de Estudos de Urbanismo e Arquitetura em Saúde, do Departamento de Patrimônio Histórico da Casa de Oswaldo Cruz. Coordenador do curso lato sensu de Gestão e Preservação do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz. Coordenador do curso de Mestrado Profissional em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz. Atualmente é coordenador geral do DOCOMOMO Brasil.

    O Prof. Renato Gama-Rosa ministra a palestra:

    Tempo e Espaço: A ampliação do Moderno no Brasil.

    Resumo: Criado em 1992, o Docomomo Brasil vem apresentando, nos últimos anos, um crescimento de representatividade regional e temporal. Por um lado, ao mesmo tempo que isso pode significar que a noção de patrimônio moderno brasileiro está abraçando outras manifestações antes pouco destacadas, por outro lado, representa desafios para a sua conservação, que passa a envolver outros atores e outros agentes públicos. A missão do Docomomo hoje é atuar tanto na constante e permanente valorização dos edifícios já considerados clássicos da modernidade brasileira, quanto nas ações em relação a outros edifícios igualmente representativos, mas menos visíveis, que impõe ações estratégicas diferentes. 

     

     

    Comissão Científica

    Ademir Pereira dos Santos (UNITAU, Belas Artes) 

    Adriane de Freitas Acosta Baldin (Belas Artes)

    Aline Nassaralla Regino (Belas Artes)

    Ana Elena Salvi (UNIP)

    Ana Paula Koury (PGAUR/USJT)

    Andréa de Oliveira Tourinho (PGAUR/USJT)

    Anna Beatriz Ayrosa Galvão (AEC)

    Antonio Soukef (UNIVAG Centro Universitário )

    Audrey Migiliani (USTJ, ArchDaily )

    Claudio Silveira Amaral (PGAUR/USJT)

    Cristiane Kröhling Pinheiro Borges Bernardi (UNIP Araraquara)

    Cristina de Campos (PGAUR/USJT; UNICAMP)

    Dalva Thomaz (DPH)

    Eneida de Almeida (PGAUR/USJT)

    Felipe Contier (FAU-UPM)

    Fernanda Critelli (UPM, Romano Guerra Ed.)

    Helio Herbst (UFRRJ)

    Hugo Massaki Segawa (FAU-USP)

    Luciana Brasil (USJT e UPM)

    Lucio Gomes Machado (FAU-USP)

    Luis Octávio de Faria e Silva (PGAUR/USJT)

    Marcio Cotrim (UFBA)

    Maria Beatriz Camargo Cappello (UFU)

    Marianna Ramos Boghosian Al Assal (Escola da Cidade)

    Miguel Antonio Buzzar (IAU-USP)

    Mônica Junqueira de Camargo (FAU-USP)

    Paulo Y. Fujioka (IAU-USP)

    Renato Luiz Sobral Anelli (IAU-USP)

    Ruth Verde Zein (FAU-UPM)

    Sergio Matera (USJT e Senac)

    Silvia Raquel Chiarelli (Uniesi e Unimogi)

    Taís Ossani (UPM)

    Walter Pires (DPH)

    Comissão Organizadora

    Fernando Guillermo Vázquez Ramos, Presidente (PGAUR/USJT, DOCOMOMO) 

    Mirthes Baffi, Secretária executiva (DOCOMOMO) 

    Andréa de Oliveira Tourinho (PGAUR/USJT, DOCOMOMO)

    Eneida de Almeida (PGAUR/USJT, DOCOMOMO)

    Maria Isabel Imbronito (PGAUR/USJT)

    Ana Carolina Buim  (PGAUR/USJT, DOCOMOMO)

    Cristina Silveira Melo (PGAUR/USJT) 

    Daniel Carcavalli (PGAUR/USJT, DOCOMOMO)

    Diego Petrini Pinheiro (PGAUR/USJT)

    Jessica Helena Braga Nemeti (PGAUR/USJT)

     

    {{viewModel.evento.titulo}}

    {{viewModel.evento.responsavelEvento}}